Geral São Paulo

Presente em 25 municípios, programa “TODAS in-Rede” completa um ano

Ações buscam romper o ciclo de exclusão e violência contra às mulheres com deficiência, que só no estado de São Paulo são mais de um milhão

15/06/2021 15h25
Por: São Gonçalo Agora Fonte: Secom São Paulo
Foto: Reprodução/Secom São Paulo
Foto: Reprodução/Secom São Paulo

Nesta terça (15) o programa estadual “TODAS in-Rede”, da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, completou um ano. Com o objetivo de dar voz às mulheres com deficiência, o programa reforça informações e ações relevantes com foco no trabalho e renda, prevenção à violência, exercício dos direitos afetivos e sexuais, saúde da mulher e ênfase na liderança feminina.

Desta forma o programa “TODAS in-Rede” vem levando ações de promoção do empoderamento e emancipação das mulheres com deficiência de todo o estado de São Paulo, a fim de romper o ciclo de exclusão e violência. Ao todo, 25 municípios já firmaram parceria com a Secretaria e obtiveram adesão ao programa.

Entre as principais ações do “TODAS in-Rede” está o curso de ensino a distância (EaD) “O atendimento à mulher com deficiência vítima de violência”, destinado aos profissionais das Delegacias de Defesa da Mulher e da Rede de Proteção. Mais de 750 profissionais tiveram a oportunidade de realizar o curso que tem como foco realizar capacitação para que esses profissionais façam um atendimento qualificado à essas mulheres.

Outra ação que tem destaque no programa e visa a independência financeira desse público, é o curso de Empreendedorismo Feminino, “Sebrae Delas – Elas Realizam”. Realizado em parceria com o Sebrae SP, o curso impactou 555 mulheres com deficiência do estado de São Paulo.

Segundo a Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência (www.basedeados.sedpcd.sp.gov.br) , no estado de São Paulo há 1.710.601 mulheres com deficiência, representando 56,86% do total da população de pessoas com deficiência do estado. Dos empregos formais ocupados por pessoas com deficiência, apenas 37% são ocupados por mulheres. Em violência e gênero, no ano passado (2020) foram registrados mais de 3 mil boletins de ocorrência.

Rede Virtual 

Um dos pontos chave do programa é a disponibilização de informações para mulheres com deficiência, de forma acessível, com o intuito de dar base para o protagonismo e empoderamento desse público.

O site oficial é um dos pilares para que essas informações sejam difundidas. Acessível, informativa e interativa, a página tem canais de denúncia, entrevistas, artigos e disponibilização de endereços da rede de proteção e atenção à mulher (www.todasinrede.sp.gov.br) .

Também dentro dessa plataforma há um espaço para cadastro de mulheres com deficiência, afim de acolher esse público e realizar uma troca de informações rica e inclusiva. Em um ano, mais de 600 mulheres já fazem parte dessa rede e semanalmente recebem informações e novidades programa, além de conteúdos exclusivos.

“Guia Prático: Identificação e prevenção à violência contra as mulheres com deficiência” 

Pensando em ajudar a identificar os atos de violência e oferecer informações sobre como e onde pedir ajuda, principalmente dentro do contexto da pandemia, tanto à vítima como às pessoas dentro de seu convívio social, foi criado o “Guia Prático: Identificação e prevenção à violência contra as mulheres com deficiência”

A iniciativa faz parte das ações do programa “TODAS in-Rede” e disponibiliza contatos de rede de proteção e acolhimento, além de aplicativos que podem ajudar em situação de emergência e/ou vulnerabilidade.

Para ter acesso ao guia, basta clicar: https://www.todasinrede.sp.gov.br/site/prevencao-a-violencia/guia-pratico/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias