HJ STOREBR - super banner topo
PAGSEGURO anúncio home
AMAZÔNIA

Bolsonaro responde a Noruega ‘ambientalista’ lembrando matança de baleias grávidas

Ele compartilhou vídeo com imagens da Dinamarca, mas na Noruega a matança é a mesma

19/08/2019 10h55Atualizado há 4 meses
Por: Sandro Araújo
O grande problema é que o presidente errou com a imagem e colocou um caso ocorrido na Dinamarca.
O grande problema é que o presidente errou com a imagem e colocou um caso ocorrido na Dinamarca.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) utilizou neste domingo (18) imagens de caça de baleias para criticar a Noruega,  que estabeleceu uma “cota” anual de morte de mil baleias, quase todas fêmeas grávidas, e se recusa a assinar qualquer tratado internacional sobre o fim da matança. A Noruega suspendeu repasse de recursos para o Fundo Amazônico, destinados sobretudo a ONGs controladas por noruegueses.

O vídeo compartilhado por Bolsonaro em sua rede social, mostra caçadores encurralando baleias em uma praia de Faroë, na Dinamarca, para na sequência matá-las com arpões. As imagens são muito semelhantes ao que ocorre na Noruega, mas foram gravadas na ilha dinamarquesa.

Na mesma publicação, Bolsonaro disse que em torno de 40% dos recursos do Fundo Amazônico são direcionados a ONGs, que são, segundo ele, “refúgio de muitos ambientalistas”. “Veja a matança das baleias patrocinada pela Noruega”, escreveu.

“É horrível saber que uma taxa tão alta de baleias mortas na Noruega são fêmeas grávidas”, afirmou recentemente a ONG suíça OceanCare, em comunicado. “Os caçadores estão não apenas matando esta, mas parte da próxima geração de baleias”.

Na quinta-feira (15), ao comentar a suspensão do repasse ao Fundo Amazônico, o presidente havia afirmado que a Noruega mata baleias e realiza exploração considerada predatória de petróleo no Ártico.

A Noruega seguiu a decisão da Alemanha que, no sábado (10), também informou que suspenderá parte do financiamento de ONGs ambientalistas. No mesmo tom adotado contra a Noruega, Bolsonaro sugeriu que a Alemanha refloreste seu próprio país.

O presidente disse ainda que o interesse dos países europeus não é em ajudar a floresta amazônica, mas em explorar a sua riqueza e exercer soberania sobre ela.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.