23°

Pancada de chuva

São Gonçalo dos Campos - BA

Política Eleição é inevitável

Eleição para a Presidência: Por falta de quórum nova sessão extraordinária é marcada para segunda-feira (21)

Eleição para presidência da Câmara Municipal de Vereadores de São Gonçalo dos Campos tem chapa única

18/03/2022 às 17h36 Atualizada em 18/03/2022 às 18h30
Por: São Gonçalo Agora
Compartilhe:

Por falta de quórum, a Sessão Extraordinária para Eleição da presidência da Câmara Municipal de Vereadores de São Gonçalo dos Campos foi novamente marcada para a próxima segunda-feira (21).

A Sessão teve início na tarde desta sexta-feira, 18, às 14h35min, com a presença de 6 dos 13 vereadores da Casa. Após a abertura dos trabalhos e chamada dos vereadores foi oficializado a falta de quórum, cabendo ao presidente vereador Josué de Oliveira (PP), encerrar a sessão e marcar outra extraordinária para segunda-feira.

Os vereadores presentes foram:

Josué de Oliveira (Joca)
Eziel Lopes (Xodó)
Priscila Marques
Ademilton Torres (Nonato)
Dermival Santana (Chico de Daniel)
Rogério Sodré (Geromen)

Os vereadores presentes fazem parte da bancada de oposição ao governo municipal. A base de situação é composta por Gilson Cazumba (Escurinho), Ellon Maldine (Ellon), Claudio Correia (Grilo) e Jailton Bastos (Platina). Até o encerramento da sessão não apresentaram justificativas.

O vereador Edmundo Borges (Edmundo de Caboquinho) que também não compareceu e se classifica como "independente", informou a Câmara que passou por um procedimento cirúrgico e se recupera em casa.

Gonçalo Raimundo (Irmão Gonçalo) "independente", e Raimundo Sérgio (Sérgio de Dezinho) - oposição/situação - também faltaram e até o encerramento da sessão não apresentaram justificativas.

Informações de bastidores da política dão conta que, nesta sexta-feira, 18, os vereadores ausentes, com exceção do vereador Edmundo Borges se reuniram com o prefeito Tarcísio Pedreira (Solidariedade). Como são informações de bastidores, não se pode afirmar se a suposta reunião realmente ocorreu e, se sim, tendo algo haver com o esvaziamento da sessão, e tão pouco se procedem rumores de uma, também, suposta “conquista” de novos vereadores recém integrados à base do governo.

Os rumores foram potencializados após a fala do vereador Gonçalo Raimundo, dia 03/03/22, durante o grande expediente, abordando a polêmica criada com o processo de Eleição para a presidência da Câmara. O vereador disse que não teria condições de se eleger presidente por não ter dinheiro para comprar os colegas edis.

“Chapa a gente faz, mas a questão é ganhar, vereador custa R$ 100 mil, onde achei R$ 100 mil pra dar a vereador? Não! Toda regra tem exceção, é melhor eu ficar calado...”.

A acusação coloca os vereadores e prefeito em saia justa, pois desde a Eleição para a presidência do Legislativo em 2020, é claro o interesse e envolvimento da gestão em querer fazer um presidente de Câmara, mais a recente conquista do vereador Platina, e possivelmente mais dois vereadores para a sua base.

Uma coisa é fato, os vereadores faltosos não poderão continuar esvaziando as sessões, precisam respeitar o limite de faltas, cujo excesso pode até ocasionar a perda de mandato. Por outro lado, a presidência pode convocar sequenciais sessões extraordinárias até que se tenha o quórum necessário para a realização da sessão e Eleição.

Ao final, resta saber apenas identificar quantos sairão "chamuscados" dessa batalha.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias