Quarta, 02 de Dezembro de 2020
75 98175-0580
Brasil Economia

Guedes dá “certeza” em prorrogar auxílio emergencial com 2ª onda de covid

O governo federal já gastou R$ 182,3 bilhões com o pagamento do auxílio emergencial em 2020.

12/11/2020 17h13
Por: Sandro Araújo
Guedes dá “certeza” em prorrogar auxílio emergencial com 2ª onda de covid

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta 5ª feira (12.nov.2020) que haverá prorrogação do auxílio emergencial caso ocorra uma 2ª onda de covid-19 no Brasil.

“Existe possibilidade de haver uma prorrogação do auxílio emergencial? Aí vamos para o outro extremo. Se houver uma 2ª onda de pandemia, não é uma possibilidade, é uma certeza. Nós vamos ter de reagir, mas não é o plano A. Não é o que estamos pensando agora”, afirmou.

“‘Ah, mas veio uma 2ª onda’. Okay, vamos decretar estado de calamidade de novo e vamos, de novo, recalibrando os instrumentos. […] Em vez de gastar 10% do PIB, como foi neste ano, gastamos 4% [em 2021]“, completou.

Guedes participou do evento virtual do troféu “Supermercadista Honorário” da Abras (Associação Brasileira de Supermercados).

A declaração preocupa operadores do mercado financeiro. É 1 indicativo mais forte de que a emenda constitucional do teto de gastos pode vir a ser descumprida em 2021.

O governo federal já gastou R$ 182,3 bilhões com o pagamento do auxílio emergencial em 2020. A parcela mensal era de R$ 600 no início da pandemia e foi reduzida para R$ 200 em setembro. Mesmo com a redução, o orçamento do benefício é ainda maior, por exemplo, que o do Bolsa Família, que somou R$ 26,4 bilhões neste ano.

A dívida pública do governo rompeu a barreira de 90% do PIB (Produto Interno Bruto) pela 1ª vez na história. O deficit primário –quando as despesas superam as despesas– projetado pelo Ministério da Economia em 2020 é de R$ 861 bilhões.

“Gastamos 10% do PIB para combater essa pandemia. Os mais vulneráveis foram protegidos, a economia brasileira foi preservada”, declarou o ministro. “Estamos retirando gradativamente esses estímulos fiscais porque não temos esse espaço fiscal tão grande. Agora, estamos preparados como sempre se vier uma pandemia de volta. Se vier a 2ª onda nós vamos saber reagir de novo”.

O ministro disse porém que é “covardia”, “politicagem” e “falta de coragem de enfrentar os custos da doença” gastar mais do que a capacidade financeira do Brasil. 

“ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU”

O ministro da Economia disse que o Brasil voltou a crescer depois do choque provocado pelos efeitos da pandemia. Ele citou que o auxílio emergencial foi fundamental para a economia retomar o nível de atividade pré-crise em “V”, que é a referência gráfica de queda forte seguida de retomada rápida.

Para ele, o setor público precisa “sair da frente para o Brasil voar”.

“O resultado foi extraordinário. A economia brasileira voltou em ‘V’ e a imagem que eu usava sempre acabou se tornando realidade. A imagem que eu usava é a que o Brasil não seria abatido. O Brasil é resiliente, os brasileiros lutam pela sobrevivência. Somos 1 povo sofrido, fomos à hiperinflação duas vezes, fomos a recessão, moratória. E é 1 povo que aprendeu a improvisar, se adaptar, lutar pelo melhor”, declarou.

Ele avaliou ainda que o governo está indo em direção, junto com o Congresso, de 1 aperfeiçoamento institucional importante. Segundo ele, as pautas do Executivo conseguiram manter o Legislativo em operação durante a pandemia. Uma das críticas ao governo Jair Bolsonaro é o atraso na aprovação de reformas importantes, como o Pacto Federativo e a reforma administrativa.

Durante o evento da Abras, Guedes elogiou os supermercados por manterem as prateleiras abastecidas. “Nós tínhamos uma ameaça de caos social, porque, mesmo se as pessoas tivessem os recursos, se não fossem os trabalhos, os esforços e protocolos que a rede de supermercados criou, se não fosse esse trabalho, as prateleiras estariam vazias também”, afirmou. “Nós temos uma rede muito competitiva, distribuída nacionalmente para atender o mercado”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São Gonçalo dos Campos - BA
Atualizado às 19h06 - Fonte: Climatempo
25°
Poucas nuvens

Mín. 21° Máx. 29°

25° Sensação
19.1 km/h Vento
63.5% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (03/12)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 20° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens
Sexta (04/12)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias