Quinta, 02 de Dezembro de 2021
27°

Pancada de chuva

São Gonçalo dos Campos - BA

Justiça Tocantins

Seciju e Hospital do Amor promovem ação com exames para mulheres monitoradas com tornozeleira eletrônica

Ação é alusiva ao Outubro Rosa, tendo como público-alvo monitoradas em regime semiaberto, vítimas de violência doméstica

27/10/2021 às 16h15
Por: São Gonçalo Agora Fonte: Secom Tocantins
Compartilhe:
Ação foi realizada por meio de parceria entre Central de Monitoramento e Hospital de Amor - Foto: Vitória Soares/Governo do Tocantins
Ação foi realizada por meio de parceria entre Central de Monitoramento e Hospital de Amor - Foto: Vitória Soares/Governo do Tocantins

Para garantir a assistência em saúde da mulher, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) segue realizando ações voltadas à prevenção dos cânceres de mama e de colo de útero neste mês de outubro. Neste sentido, a Central de Monitoramento Eletrônico de Pessoas, em parceria com o Hospital de Amor, promoveu nesta quarta-feira, 27, atendimento e exames preventivos para mulheres monitoradas, vítimas que utilizam dispositivo de proteção fiscalizado pela Central e servidoras que atuam no setor.

Na ocasião, foram realizados exames de mama e preventivo de câncer de colo de útero, além de orientações sobre os cuidados necessários com a saúde da mulher. A ação, organizada pela equipe multidisciplinar da Central de Monitoramento Eletrônico de Pessoas, também teve como objetivo incentivar as mulheres a realizarem um acompanhamento mais de perto das suas condições de saúde.

O superintendente de Administração dos Sistemas Penitenciário Prisional do Tocantins, Orleanes Alves, ressalta que ações como essa fazem parte dos objetivos da gestão de ofertar uma assistência mais completa aos custodiados. “A Gestão do Sistema Penal trabalha seguindo o Plano de Reestruturação, Reaparelhamento e Readequação do Sistema Penal, no qual já estamos na segunda fase, com a proposta de uma execução penal completa que se dá em todos os meios, desde o regime aberto, fechado, monitoração eletrônica, alternativas penais e semiaberto. A ideia é justamente essa, oferecer assistência para todos os atendidos pela pasta”, afirmou.

A policial penal plantonista da Central, Fernanda Gonçalves, reforça que a ação também contou com a participação de mulheres vítimas de violência que são acompanhadas pela equipe. “A Central de Monitoramento conta com uma equipe multidisciplinar que, no Outubro Rosa, definiu a mobilização de mulheres que estão no regime semiaberto e algumas vítimas atendidas pela Central, para facilitar o acesso delas a esses exames e disseminar informações sobre o tema”.

Para a monitorada, R.P.R., de 28 anos, a ação possibilita acesso facilitado pela assistência à saúde. “Essa é uma oportunidade para a gente poder vir se consultar e prevenir qualquer doença, isso é essencial, porque muitas vezes as pessoas passam por dificuldade e vão descobrir um problema muito tarde, justamente pela dificuldade de ter acesso a assistência à saúde”, contou.

Parceria

A fim de possibilitar que os atendimentos ocorressem de forma adequada, a Seciju contou com a parceria do Instituto de Prevenção do Hospital de Amor, que realizou os atendimentos com as monitoradas. “A prevenção do Hospital de Amor está aqui para facilitar o acesso de todas as mulheres a esses exames, para que todas tenham a oportunidade de detectar de forma precoce qualquer possível doença e, assim, realizar o tratamento da melhor forma”, explicou a supervisora administrativa do Instituto de Prevenção, Sandra Voltan Ruza.

A psicóloga da equipe multidisciplinar da Central de Monitoramento Eletrônico de Pessoas, Elba Lustosa, ressalta que a parceria foi importante para proporcionar uma ação efetiva para as mulheres monitoradas. “O Outubro Rosa é extremamente importante, por isso pensamos em uma forma de ofertar algo que tivesse efetividade, então entramos em contato com o Hospital do Amor para essa parceria e falamos com as monitoradas. Por serem acompanhadas eletronicamente, muitas delas têm dificuldade em sair de casa, mas conseguimos que fossem autorizadas a estarem aqui”, contou.

Central de Monitoramento Eletrônico

A Central de Monitoramento Eletrônico de Pessoas (CMPE) coordena a monitoração eletrônica de pessoas no Estado, ao gerenciar a utilização de tornozeleira eletrônica e dispositivo de proteção à vítima de violência doméstica; fiscalizar o uso adequado dos equipamentos; e reportar aos Órgãos de controle as informações pertinentes ao monitoramento.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias