Cuba cancela programa Mais Médicos após Bolsonaro exigir 100% do salário pago a médicos

O governo cubano anunciou nesta quarta (14) a saída do país do Programa Mais Médicos. De acordo com o Ministério da Saúde de Cuba, a retirada dos médicos decorre de declarações feitas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, e por considerar as exigências do futuro governo como “inaceitáveis”.

Pelo Twitter, Bolsonaro disse ter condicionado a continuidade dos cubanos a “aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos” e a autorização para que os médicos possam trazer suas famílias para o Brasil.

Bolsonaro criticou a atual forma de pagamento dos salários com pequeno repasse aos médicos e “maior parte destinada à ditadura”. “Infelizmente, Cuba não aceitou”, finalizou.

O programa Mais Médicos foi criado em 2013 com o intuito de atrair médicos brasileiros e estrangeiros interessados em trabalhar nos locais definidos pelo governo, normalmente de pouco interesse dos profissionais.

Atualmente, o governo brasileiro paga R$ 11.520 mensais por cada médico. Todos os integrantes do programa recebem o valor total, mas os cubanos são pagos via Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) e só recebem R$ 3 mil. DP

Sandro Araújo