Reforma do hospital é conversa fiada; saúde de São Gonçalo rumo ao cemitério

O sistema de saúde em São Gonçalo dos Campos agoniza e sua população padece à espera das melhorias prometidas durante a então eleição de 2016, na qual o canditado Carlos Germano (PP) saiu vencedor, tendo como peça principal de campanha potencializar os serviços de saúde no município.

Algumas das promessas, como por exemplo - Implantar programas modernos e eficazes de saúde ampla da mulher e da criança, a exemplo do anexo Clínica da Mulher - Implantar e assegurar o acesso a serviços especializados para a terceira idade, além da construção da Casa do Idoso - Construir Policlínicas na zona rural nos povoados de Santana de Itaquari, Mercê e Magalhães - Ampliar o fornecimento de medicamentos gratuitos na rede de saúde do município - Reforma completa do hospital municipal, incluindo seu centro cirúrgico, ampliação e estruturação se quer voltaram a ser lembrados nesse 1 ano e 10 meses de governo. Veja Plano de Governo.

A reportagem do SGAGORA esteve nesta segunda-feira, 29, no hospital municipal, que segundo a gestão passa por "reparos", e, foi constatado que não existe nenhum sinal de serviços em execução na unidade. A "obra" teve início em 5 de julho com investimento de R$ 1.162,350,71. Um milhão financiado pelo Governo do Estado e o restante contrapartida do município. O município também recebeu ano passado (2017) uma emenda de quase meio milhão de reais, destinada para compra de equipamentos. Não temos informação se já foi ou não utilizada.
Pela parte externa conseguimos detectar apenas pequenos reparos no reboco, um canteiro de obras abandonado e sem nenhum vestígio de pessoas trabalhando. Nenhum material de obra se encontra no local. Na recepção e salão de espera nenhum reparo foi realizado, apenas foram retirados os vidros da recepção e agora tem uma escora com um pedaço de madeira segurando o teto. Essa semana surgiu a informação de um suposto furto de 1.500 telhas do hospital. Parte do hospital foi destelhado para lavar as telhas.
Não tivemos acesso às dependências da unidade - dias antes do início da "obra" nossa equipe tentou acesso para registrar as condições em que o mesmo se encontrava, e após os trabalhos comparar o (antes e depois), mas não conseguimos autorização para uma inspeção.

Pacientes relataram ao portal que é comum a falta de medicamentos, falta de respeito e ignorância por parte de alguns profissionais, como o que ocorreu com uma paciente atendida pelo Dr. Sidney dia 3 de setembro, falta de material de higiene e etc. O mesmo ocorre também nos PSF's. Nesta terça-feira, 30, um morador do povoado de Magalhães entrou em contato com nossa equipe e criticou a unidade do povoado.

"Venho aqui fazer uma queixa sobre o posto de saúde do Magalhães, a coisa está tão feia que estão colocando copo de cafezinho para beber água, e não é só isso, como se não bastasse agora só vai ter marcação para consulta médica depois do dia 20/11. Vi o pessoal chegar lá para procurar remédios e ouvi responderem que não tem. Onde é que vamos parar nessas condições? Isto é inaceitável, nossa saúde está fazendo vergonha."

CANTEIRO DE OBRAS ABANDONADO DESDE ANTES DO PRIMEIRO TURNO DAS ELEIÇÕES

 Por Sandro Araújo

Sandro Araújo