Maia prevê que só 8 partidos vão sobrar após a ‘cláusula de desempenho’

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, acha que a proibição de coligações para eleição proporcional (vereadores e deputados), a partir das eleições municipais de 2020, reduzirá “para 6 ou 8” o número de partidos com atuação plena nos parlamentos, em razão da chamada “cláusula de desempenho”. O ministro Gilberto Kassab (Comunicações) estima redução de 35 para 18 partidos já a partir da eleição deste ano.

Presidente o PSD e especialista nesses cálculos, Kassab é mais otimista: acha vão sobrar apenas “uns dez” partidos, após 2022.

Pelas pesquisas, PP, PT, PSDB, PSD, PR, MDB, DEM, PRB, PDT e PSB serão os dez mais votados na disputa por vagas na Câmara.

Lutarão para sobreviver à “cláusula de desempenho”, pela ordem: PSL, PTB, Solidariedade, Pros, Pode, PCdoB, Psol, PPS, PV, Rede e Novo. DP

Sandro Araújo