"Falta de respeito"; diz filha após não encontrar medicamento para sua mãe no CAPS de São Gonçalo

Uma moradora da zona rural de São Gonçalo dos Campos utilizou a rede social Facebook para reclamar da falta de medicamentos no Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) do município. Além dessa outras pessoas também aproveitaram o "timing" para também endossar a reclamação relatando o mesmo problema com um conhecido ou familiar que precisou de algum medicamento e não ofertado.

De acordo com a reclamante, sua mãe sofre de problemas psicológicos e precisa fazer uso de medicamentos para controle da doença. Nenhum dos quatro medicamentos prescritos pela psiquiatra do município foram encontrados nesta quarta-feira, 19, no CAPS. Dois deles é o Haldol, indicado para o alívio de transtornos do pensamento, de afeto e do comportamento, e Biperideno (substância ativa) está destinado ao tratamento da síndrome parkinsoniana, especialmente para controlar sintomas de rigidez e tremor, sintomas extrapiramidais como distonias agudas, acatisia e síndromes parkinsonianas induzidas por neurolépticos e outros fármacos similares.

A reclamante disse ainda que não entende um CAPS não ter medicamentos, um direito oferecido pelo Ministério da Saúde. "O pior de tudo é que moramos na zona rural e preciso pagar um carro particular para levar minha mãe no CAPS. Nem um telefone não tem para sabermos se da oferta do medicamento ou não, aí a pessoa fica se deslocando para lá, tendo que pagar carro sem poder. A verba está indo para onde? Isso é uma falta de respeito"

Em contato com o governo municipal, sua assessoria de comunicação informou que; "em relação a falta de medicamentos no CAPS, segundo a secretaria de saúde, houve um atraso por parte da entrega do fornecedor, e, todas as providências estão sendo tomadas para evitar transtornos à população que necessita deste atendimento e a partir de terça-feira, 25, a situação já estará normalizada.

Por Sandro Araújo

Sandro Araújo