Dados dos sistemas eleitorais estão protegidos na sala-cofre do TSE

Logo após a conclusão da Cerimônia de Assinatura Digital dos Sistemas Eleitorais, realizada na manhã desta quinta-feira (6), na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em Brasília, uma cópia física dos programas informatizados que serão utilizados nas urnas eletrônicas nas eleições deste ano foi armazenada na sala-cofre da Corte Eleitoral. A cópia foi levada pessoalmente ao local pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber.

Instalada nas dependências da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI), a sala-cofre é uma câmara que conta com um sofisticado sistema de segurança que garante o isolamento dos programas. Somente três servidores têm acesso ao local e, para abri-lo, é necessária a leitura das digitais de dois desses servidores ao mesmo tempo, além de crachá específico. Além disso, o acesso à sala-cofre requer a utilização de uma chave que fica guardada em um segundo cofre, também com entrada restrita. Outra medida de segurança é que, tanto para entrar quanto para sair do local, é imprescindível que cada porta do nível anterior seja fechada para que a seguinte seja aberta.

Não é só o acesso à sala que é protegida. Todo o ambiente conta com um certificado contra fogo, calor, umidade, gases corrosivos, fumaça, água, arrombamento, acesso indevido, sabotagem, impacto, pó, explosão, magnetismo, armas de fogo e, até mesmo, pequenos terremotos. Além, disso a sala é monitorada 24 horas por dia, durante os sete dias da semana por pelo menos três pessoas.

Tanta precaução se justifica. Além do sistema de votação eletrônico, o cofre guarda os dados de todos os eleitores brasileiros (cadastro eleitoral), inclusive os referentes à biometria (identificação por meio de digitais) e à rede da Justiça Eleitoral.

HV/LR, DM

Sandro Araújo