Moro adia interrogatório de Lula no caso de sítio de Atibaia para depois das eleições

O juiz Sergio Moro adiou para depois do segundo turno das eleições os interrogatórios agendados na ação em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de ter se beneficiado com obras feitas no sítio de Atibaia por empreiteiras fornecedoras da Petrobras. Em despacho publicado na manhã desta quarta-feira, o juiz remarcou as audiências para a partir do dia 5 de novembro. Lula só deverá ser interrogado no dia 14 de novembro, conforme publicou Merval Pereira em sua coluna no fim da manhã desta quarta-feira.

"A fim de evitar a exploração eleitoral dos interrogatórios, seja qual for a perspectiva, reputo oportuno redesignar as audiências", afirma Moro em seu despacho.

O juiz lembrou ainda que faltam apenas os interrogatórios dos acusados para finalizar o processo e que, apesar de condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal, e estar preso por ordem do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, "o acusado apresenta-se como candidato à Presidência da República". Os interrogatórios do caso haviam sido marcados para o período de 27 de agosto a 11 de setembro, coincidindo com o período de campanha eleitoral. Lula seria ouvido no dia 11 de setembro, mesma data em que falaria o pecuarista José Carlos Bumlai. O Globo

Sandro Araújo