Especialista defende que ozionioterapia não seja liberada no país

Prática é proibida no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina e só será permitida caso seja comprovada a eficácia 

A técnica de ozonioterapia é defendida por parte dos médicos brasileiros. Ela consiste na aplicação da mistura de gases oxigênio e ozônio medicinal para combater algumas doenças. De acordo com a Associação Brasileira de Ozonioterapia, a prática pode ser utilizada como um remédio anti-inflamatório, antisséptico, que melhora a circulação e a oxigenação.

O tratamento não é permitido pelo Conselho Federal de Medicina brasileiro. Ele é considerado de risco para os pacientes. Porém, o CFM permitiu que fossem feitos experimentos e pesquisas até descobrirem se o tratamento não é prejudicial à saúde.

Leonardo Sérvio Luz é médico psiquiatra e representa o Conselho Federal de Medicina no Piauí e defende que o tratamento não seja liberado no país.

“A ozonioterapia é considerada uma prática que não há evidências não só da eficácia. Não há comprovação de eficácia, e há uma estimativa de risco. Por isso que o Conselho Federal de Medicina, através da sua resolução, está vetando a prática da ozonioterapia a todos os médicos brasileiros.”

A Associação Brasileira de Ozonioterapia não concorda com a decisão, mas acredita que, com pesquisas, é possível que um dia o tratamento seja permitido. A opinião é do presidente da associação Arnoldo de Souza.

“Eu vejo com tristeza, com pesar e entendendo que ela é equivocada. Mas os homens também se equivocam, mesmo pessoas tão preparadas como são os conselheiros, pelo menos na área política, que foram eleitos como tal. Mas acredito também que na área cientifica, já que eles têm um comitê científico que decide pelas coisas. Mas também não vejo como impossível de ser revisto. As pessoas precisam entender que nós não podemos ter compromissos com ideias monoliticamente, que nós conseguimos avançar, fazer outros trabalhos, fazer com que outros países venham nos trazer informação e fazer um intercâmbio internacional. Nós vamos acabar nos fortalecendo.”

De acordo com o Conselho Federal de Medicina, as pesquisas relacionadas à ozonioterapia devem ser realizadas em sigilo dos indivíduos, além de oferecer suporte médico em casos de situações inesperadas. O tratamento também deve ser gratuito.

Reportagem, Sara Rodrigues
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo