Denúncia envolvendo irregularidades na Guarda Municipal de São Gonçalo aguarda resposta

O povo brasileiro vive um momento muito esperado no que diz respeito às investigações relacionadas à inúmeros supostos crimes e irregularidades na administração pública. As Procuradorias, Ministérios Públicos, Polícia Federal assim como outras competências vêm fazendo uma varredura principalmente no "sistema político" que se encontra em total descrédito com tantos escândalos de corrupção. "Mas nem tudo são flores" - no campo municipal, apesar das denúncias chegarem como enxurrada nos órgãos competentes, algumas ainda estão demorando e muito a serem investigadas.

Em São Gonçalo dos Campos, por exemplo, o Ministério Público Estadual da Bahia (MPE/BA) até vem atuando de forma significativa com suas investigações. Informações dão conta que existem inúmeras denúncias sendo apuradas.

Fazendo uma breve retrospectiva envolvendo prefeitos, lembramos que, em 02 de outubro de 2015, o MP proibiu por um prazo de 180 dias, que o então prefeito Antonio Dessa Cardoso ingressasse nas dependências da prefeitura. O prefeito não precisou cumprir a determinação em sua íntegra, pois uma liminar barrou a proibição e após três dias retornou à prefeitura (O caso em questão ainda não foi encerrado). De lá para cá o MP também atuou fiscalizando gastos com festas, inspecionou escolas municipais, unidades de saúde, determinou em março deste ano (2018) a nomeação e posse do procurador jurídico Matheus de Lima Protásio, caso que acabou reforçando outras denúncias contra a gestão do prefeito Carlos Germano, culminando no dia 13 de junho em uma Operação de Busca e Apreensão de documentos no prédio da prefeitura.

A reportagem do SGA teve acesso a algumas denúncias feitas na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Procuradoria do município e MP. A denúncia na Secretaria de Meio Ambiente se refere à suposta prática de poluição sonora por meio de um "serviço de alto falante". Já no MP e Procuradoria são referentes à supostas irregularidades no funcionamento da Guarda Municipal.

Segundo o documento, existem irregularidades na rendição, substituição de posto dos guardas, atrasos daqueles que residem em outras cidades, duplo vínculo empregatício, guardas que trabalham em empresa privada mantida com dinheiro público e etc.

Para saber sobre as denúncias, nossa reportagem tentou contato por telefone com a procuradoria e o MP por volta das 11h34min dessa sexta-feira, 06, mas não obtivemos êxito.

VEJA CÓPIAS DA DENÚNCIAS ABAIXO


Por Sandro Araújo

Sandro Araújo