Portal da Educação disponibiliza mais de seis mil conteúdos preparatórios para o ENEM

Mesmo no período do recesso junino, que segue até o dia 2 de julho na rede estadual de ensino, os estudantes continuam intensificando a preparação para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), nos dias 4 e 11 de novembro. Por meio do Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br), os alunos têm acesso a mais de
6,5 mil conteúdos digitais educacionais. São games, vídeos, jogos, dentre outros conteúdos educacionais pensados e elaborados por professores da rede estadual de ensino na perspectiva de dinamizar as aulas e disponibilizar novas ferramentas de acesso ao conhecimento.

"Estes são conteúdos elaborados por educadores baianos e que podem ser acessados por qualquer dispositivo conectado à internet. Além disso, estamos trabalhando com aulões, simulados e com outras ações que envolvem, por exemplo, o apoio das nossas universidades estaduais, por meio do cursinho Universidade para Todos, visando melhor contribuir para o ingresso dos nossos estudantes no Ensino Superior”, afirmou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

O trabalho tem uma proposta de apropriação tecnológica para a produção de um conteúdo crítico, contextualizado e colaborativo, ou seja, usando a tecnologia em benefício da comunidade escolar, buscando respeitar e dialogar com a história e a cultura do Estado. Além disso, a ação é colaborativa, pois tem como elemento principal a participação de professores da Rede Anísio Teixeira e estudantes como protagonistas, trabalhando coletivamente. A partir desta concepção, os trabalhos são baseados em três linhas de ação: formação, produção e compartilhamento. O programa atua por meio de três projetos: Ambiente Educacional Web, TV Anísio Teixeira e Professor Web.

Os conteúdos digitais livres são organizados por disciplinas, área do conhecimento, temas transversais, tipo de mídia, acessibilidade e sites temáticos para uso em sala de aula ou como suporte nos estudos. Além disso, há links para softwares de apoio para produção e colaboração, visando que os educadores participem com produção própria. Na plataforma digital ainda consta uma rede social educacional, denominada Espaço Aberto, na qual professores podem trocar e compartilhar experiências do uso dessas tecnologias.

A novidade para os estudantes neste ano, é a série de TV da Rede Anísio Teixeira, protagonizada por estudantes e professores da rede pública estadual, que pode ser vista e baixada através do Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). Por meio do canal da TV Anísio Teixeira foram produzidos, em sua primeira temporada, nove programas educacionais, além de interprogramas e campanhas educativas. Em um dos episódios, "Cotidiano" (http://pat.educacao.ba.gov.br/tv-anisio-t…/…/episodios/id/10), dois estudantes investigam como a corrosão acontece em diferentes materiais. Nele, os personagens Rafa (Alexandre Souza) e Kely (Ayram Reis) gravam vídeo pelas ruas e na laje da casa de Daniel (Vinicius Nascimento) sobre a ação da maresia sobre as estruturas metálicas. Já em “Diversidade linguística” (http://pat.educacao.ba.gov.br/tv-anisio-t…/…/episodios/id/11) são abordadas as várias formas de falar o Português brasileiro.

Video-aulas – No Portal da Educação, os estudantes também podem acessar as vídeos-aula do programa do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC) – ação estruturante da Secretaria da Educação do Estado que garante aos estudantes que moram em áreas remotas da Bahia a conclusão do Ensino Médio. As aulas do EMITEC são transmitidas, via satélite e em tempo real, para todas as telessalas espalhadas pelo Estado, diretamente do IAT.

Além do conteúdo online, a Secretaria está realizando o projeto ENEM 100%, que engloba ações estratégicas voltadas para o fortalecimento das aprendizagens e funciona por etapas, que incluem, por exemplo, a mobilização das unidades escolares; a inscrição e o registro dos inscritos; o fortalecimento das aprendizagens; e o Redijaê, que propõe que os estudantes escrevam e enviem suas redações para o ambiente virtual da Plataforma Anísio Teixeira e os textos são corrigidos por professores da rede estadual e por estudantes de universidades públicas e particulares e devolvidas para os alunos, com as observações necessárias para o aperfeiçoamento da escrita dissertativa.

Foto: Ilustração/ Cláudia Lessa

Sandro Araújo