Petroleiros preparam greve por tempo indeterminado e ameaçam 'parar o país'

A FUP e seus sindicatos estão reunidos nesta terça-feira, 12, em Curitiba, para definir os próximos passos de enfrentamento da categoria petroleira pela redução dos preços dos combustíveis e contra a privatização do Sistema Petrobrás. A luta ganhou a sociedade na recente greve de advertência de 72 horas, que resultou na demissão de Pedro Parente. Agora, as direções sindicais voltam a se reunir para dar continuidade à construção da greve por tempo indeterminado, que foi aprovada pelos petroleiros nas assembleias.

A entrega do comando da Petrobrás a Ivan Monteiro, braço direito de Parente e um dos principais articuladores das privatizações e dos desinvestimentos, reforça a necessidade de ampliação da resistência em defesa da estatal. Nesta terça, o Conselho Deliberativo da FUP discutirá a continuidade dessa luta.

Audiência Pública no Senado

Também nesta terça, 12, os petroleiros participam de Audiência Pública, em Brasília, realizada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado para debater a política de preços dos combustíveis. Entre os convidados para o debate, estão o ex-coordenador geral da FUP, José Maria Rangel, e o ex-diretor do Sindipetro Bahia, Radiovaldo Costa, além do diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone, do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso (SindiPetróleo-MT), Aldo Locatelli, e representantes do Ministério de Minas e Energia, da Petrobras e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A audiência terá início às 09h, na sala 6 da Ala Senador Nilo Coelho, no Senado, e terá caráter interativo, com participação popular.

FUP
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo