Servidores da prefeitura de São Gonçalo "cruzam os braços" por atraso de salário

Em São Gonçalo dos Campos parte dos servidores públicos municipais continuam de "braços cruzados" nesse segundo dia de paralisação. De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDISERP) a paralisação só será encerrada após constatação dos salários nas contas dos servidores. Ainda de acordo com o sindicato, o governo informou que até ao meio dia dessa quinta-feira, 10, os pagamentos seriam efetuados. Mas até o fechamento da matéria ninguém ainda havia confirmado o dinheiro em conta.

O atraso no pagamento ultrapassou o quinto dia útil e, sem nenhuma negociação por parte do governo, ficou decidido durante assembleia do sindicado que toda vez houver atraso os servidores cruzarão os braços. Os servidores exigem uma data certa para pagamento salarial, reajuste do mesmo, regularização dos problemas enfrentados por quem tem empréstimo consignado com desconto em folha, que por falta de repasse do governo o Banco transformou em empréstimo pessoal, descontando todo dinheiro que cair na conta do servidor, exigem também equipamentos de segurança individual para quem precisa, os EPI's e etc.

O serviço de coleta de lixo por exemplo está contando apenas com trabalhadores contratados. Os efetivos até compareceram aos postos de trabalho, porém estão de "braços cruzados".

O que se sabe segundo o governo é que desde meados de 2017 a prefeitura vem enfrentando problemas financeiros, com corte no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), sequestros de valores, gastos com pagamentos de acordos com o INSS, Embasa entre outros.

Por Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo