Jungmann diz que caso Marielle terá desfecho em breve

Assassinato ocorreu no dia 14 de março, no Rio de Janeiro 

O jornal O Globo divulgou nesta quinta-feira (10) o depoimento de uma nova testemunha informando que haviam quatro pessoas dentro do carro que teria sido usado na morte da vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.

Perguntado sobre a participação do vereador Marcello Siciliano (PHS) e do ex-policial militar Orlando Oliveira de Araújo na morte de Marielle, o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que a investigação está chegando na sua etapa final e que, em breve, terá um desfecho.

“O que eu posso dizer é que estes e outros são investigados e que a investigação do caso Marielle está chegando na sua etapa final. Eu acredito que, em breve, nós vamos ter resultados.”

Nesta semana, o vereador Marcello Siciliano (PHS) negou que tivesse envolvimento na morte da vereadora. Ela e seu motorista foram mortos na noite de 14 de março, no bairro do Estácio, depois de ela ter participado de seu último compromisso político, na Lapa. Seu carro passou a ser perseguido por dois veículos, que dispararam 13 tiros contra Marielle e Anderson.


Reportagem, Cintia Moreira

Sandro Araújo