Homem que estuprou, matou e arrancou órgão genital de criança em SSA é condenado a 39 anos de prisão

O homem acusado de estuprar, matar e arrancar o órgão genital de um menino de seis anos, no bairro Pernambués, em Salvador, no ano de 2014,foi condenado a 39 anos e nove meses de prisão, em júri popular realizado nesta segunda-feira (21), segundo informou o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

O julgamento foi realizado no Fórum Ruy Barbosa, na capital. De acordo com o Ministério Público do Estado (MP-BA), autor da denúncia contra Pedro Damião Cruz Sena, o crime aconteceu em 14 de julho de 2014.

O acusado foi achado pela polícia cerca de nove dias depois, em Itabuna, cidade do sul da Bahia, e desde então respondia ao processo preso. Os promotores de Justiça Davi Gallo e Cássio Marcelo de Melo atuaram na acusação.

Conforme apontaram as investigações, Pedro Damião conheceu o menino em um semáforo de Salvador, onde os dois trabalhavam vendendo doces. O acusado disse que convidou a criança para comprar roupas em um shopping na região do Iguatemi, mas levou a vítima para um imóvel alugado na Rua Dilson Souza, no bairro de Pernambués. Depois de estuprar o garoto, o acusado matou o menino esfaqueado e carbonizou o corpo da vítima.

Antes fugir, Damião dormiu ao lado do corpo da vítima. A criança foi encontrada quatro dias após o crime, depois que os vizinhos de Pedro Damião denunciaram sentirem o mau cheiro vindo da casa. No imóvel, foi encontrado o corpo do menino já em estado de decomposição.

Segundo o MP-BA, o acusado confessou o crime à polícia e disse que o motivo era vingança, porque estava com raiva de traficantes que teriam expulsado ele da localidade da Polêmica.

Em 2014, a polícia divulgou ainda que o homem era foragido do Hospital de Custódia e Tratamento de São Paulo, onde cumpria pena por ter estuprado e matado um garoto de 9 anos, em 2004.


G1/BA

Sandro Araújo