Maioria da 1ª Turma acolhe denúncia e Aécio Neves vira réu no STF

A maioria dos ministros da primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta terça-feira, por colocar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no banco dos réus. Ele foi denunciado por corrupção passiva e obstrução de justiça.
Senador Aécio Neves, do PSDB (Marri Nogueira/Agência Senado/Agência Senado)
A denúncia foi aceita por unanimidade entre os ministros da primeira turma: Alexandre de Moraes, Marco Aurélio Mello, Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso.

Aécio é acusado de aceitar um repasse de 2 milhões de reais da J&F, supostamente por pagamento de propina.

Ele foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) em um dos últimos atos de Rodrigo Janot à frente do cargo, em junho do ano passado.

Aécio teve uma conversa interceptada na qual pedia 2 milhões de reais a Joesley Batista, um dos donos do grupo e que fez delação premiada.

Posteriormente, a quantia exigida pelo senador foi entregue a um primo de Aécio, Frederico Pacheco, em ação acompanhada pela Polícia Federal e feita com autorização do STF.

Nesta mesma denúncia, são investigados também Mendherson Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), que também foi flagrado recebendo uma mala com parte do dinheiro entregue pela J&F, e Andrea Neves, irmã e braço direito de Aécio.

Ontem, Aécio publicou artigo no jornal Folha de S. Paulo dizendo-se “ingênuo” e arrependido de “erros”, mas inocente de eventuais ilegalidades. Ele alegou que o dinheiro era referente a um empréstimo para pagar honorários de advogados.
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo