residencial PC diz que está investigando denúncia contra vereador e seu motorista em São Gonçalo - São Gonçalo Agora

PC diz que está investigando denúncia contra vereador e seu motorista em São Gonçalo

O caso continua sendo repercutido em grupos de WhatsApp da cidade. Textos e áudios compartilhados trocam acusações e ofensas envolvendo o vereador e moradores do Distrito


O caso ganhou mais repercussão quando, na manhã do dia 20 de novembro, Márcia Luciene Mendes dos Santos, conhecida como Marcinha, residente do distrito de Mercês (São Gonçalo dos Campos), procurou a Rádio São Gonçalo1.410 AM para realizar uma denúncia contra o vereador André Silva, o qual ela afirma ser responsável pela agressão ao seu filho Davi.

De acordo com a moradora, o vereador estaria aproveitando o seu poder como autoridade política para intimidar os moradores. Segundo ela, o motorista do vereador, Ivanildo, estaria desfilando pelas ruas do distrito de Mercês portando armas e mostrando à população como forma de coagi-los. Irritado com essa situação, Davi, o filho de Márcia, resolveu contestar e em um momento de raiva, quebrou a moto do vereador quando esta estava em posse do seu motorista Ivanildo. Como resposta, Davi acabou sendo agredido pela guarda municipal, segundo relatos de Márcia. Lamentando o ocorrido, a moradora pontuo: "Ele sendo vereador dentro de Mercês, ele tem que trabalhar em prol da comunidade, não estar usando o poder dele para estar fazendo essas coisas, porque isso não existe! Lá em Mercês já teve vários vereadores e ninguém nunca passou o que está acontecendo lá dentro de Mercês.".



Ao se pronunciar, Márcio, chefe da Guarda Municipal de São Gonçalo dos Campos, negou a agressão contra o filho de Márcia e informou que utilizou os meios necessários para conter a agressão por parte do filho da moradora, sendo válido ressaltar que, a guarda municipal possui arma de choque elétrica e spray de pimenta para uso de defesa pessoal. Em conformidade com a fala de Márcio, ficou claro que o vereador André Silva não os acionou, a guarda estava em seu período de ronda e ao saber do ocorrido foi para o local conter a situação.

Em seu direito de resposta, o vereador contestou a fala da moradora e afirmou que não passava de mentiras. Para o vereador, a moradora estava invertendo a situação, pois, Ivanildo não anda armado e o vereador tem como provar. Segundo ele, o filho de Márcia é integrante de uma facção ao qual ele denominou como Tudo 3, e alegou que ele e seu motorista vivem “encurralados” pelo filho da moradora e não o contrário.


Ao final da entrevista a moradora fez um apelo: “Eu só peço a ele que ele aprenda a trabalhar honestamente, só isso.”, e revelou que essa perseguição é motivada pelo fato que o atual marido da filha do vereador é ex-marido da sua filha.

Em contato com a Delegacia Territorial do município, o chefe do Serviço de Investigação (SI), investigador Weliton, disse ao SG/AGORA que o caso foi registrado por ambas as partes, e que, só pode adiantar estar sob investigação.

Ouça um dos áudios compartilhados em grupos de WhatsApp


Por Sandro Araújo/Redação de Daniele Freitas
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo