residencial Líder comunitário é advertido por vereador após chamá-lo de "defensor do prefeito e líder de governo" - São Gonçalo Agora

Líder comunitário é advertido por vereador após chamá-lo de "defensor do prefeito e líder de governo"

O líder comunitário Bruno Evangelista, também vice presidente da associação de moradores do bairro Gravata, onde reside, no município de São Gonçalo dos Campos, utilizou na manhã desta terça-feira (14), a Tribuna Popular durante sessão ordinária na Câmara de Vereadores do município, afim de reivindicar do poder executivo e legislativo local melhorias para o bairro, que segundo o líder comunitário, está esquecido.
Durante cerca de dez minutos Bruno relatou problemas como o da creche do bairro e as demais do município que estão todas fechadas, levando os pais a pagar babás para seus filhos ou contarem com a ajuda de vizinhos. A Unidade de Saúde da Família do bairro que não satisfaz a tantos moradores que chegam entre cinco e seis horas da manhã em busca de atendimento e não acham. A falta de cirurgião que leva os moradores buscarem atendimento em outros municípios a exemplo de São Félix.

Em um momento de desabafo, abalado emocionalmente, Bruno relatou que sua irmã se encontra há cerca de quinze dias internada no Hospital Municipal, precisa de uma cirurgia, e não consegue.

Continuando pontuando os problemas de seu bairro, Bruno também falou da limpeza pública precária, Rua do Maracanã em situação de calamidade pública com esgoto correndo a céu aberto e sem pavimentação, e relembrou a resposta do atual prefeito, Carlos Germano, quando perguntado durante entrevista à rádio São Gonçalo, há alguns meses, sobre a possível pavimentação da referida rua, uma "promessa de campanha". "Em 2020 a rua será calçada", disse Bruno referente a resposta do prefeito.



Algo que chamou muita atenção, já no final de seu pronunciamento, foi o líder comunitário dizer que buscou ajuda na prefeitura de Conceição da Feira afim de conseguir duas lâmpadas para repor em dois postes na rua do posto de saúde.


Quem parece não ter gostado muito do pronunciamento foi o vereador Antonio Saturnino dos Santo, Saturnino (PSD). O vereador pediu a palavra após encerramento de Bruno e rebateu ser qualificado pelo líder comunitário como "defensor do prefeito ou líder de governo". O vereador disse que foi "atacado" por Bruno.



O governo Carlos Germano tem onze meses e quatorze dias, e nenhum vereador da base do governo na câmara, que tem maioria, quer ser qualificado como líder de governo. Também nenhum deles já esclareceu o porque. 

Por Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo