residencial Três ex-integrantes da New Hit que estavam foragidos se entregam à polícia - São Gonçalo Agora

Três ex-integrantes da New Hit que estavam foragidos se entregam à polícia

Três ex-integrantes da Banda New Hit que eram considerados foragidos se entregaram na sede da Polinter (Polícia Interestadual), em Salvador, na noite de domingo (29).

Eduardo Martins Daltro de Castro Sobrinho, conhecido como Dudu Martins, que era vocalista da banda, Edson Bonfim Berhends Santos e Guilherme Augusto se apresentaram na delegacia com advogados.

Segundo a Polícia Civil, eles serão encaminhados para o sistema prisional, o que depende da disponibilidade de vagas no presídio.

Outros cinco ex-integrantes da banda New Hit também foram presos na última terça-feira (24) e transferidos na sexta-feira (27) para o Centro de Observação Penal (COP), que fica no complexo penitenciário da Mata Escura, em Salvador, segundo a Polícia Civil.

Eles foram condenados no último mês de agosto a pouco mais de 10 anos de prisão por estupro de duas adolescentes, no ano de 2012. Haviam sido presos Weslen Danilo Borges Lopes, William Ricardo de Farias, Michel Melo de Almeida, Jhon Ghendow de Souza Silva e Alan Aragão Trigueiros.

A determinação da prisão deles partiu da comarca da cidade de Ruy Barbosa, localizada a cerca de 320 km de Salvador. O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) informou que o pedido de prisão foi da juíza Marcela Pamponet, que determinou a execução imediata da decisão condenatória de segunda instância, proferida pela Primeira Câmara Criminal do TJ-BA, em 29 de agosto.

Na ocasião, oito dos ex-integrantes da banda foram considerados culpados pelo estupro de duas adolescentes, em 2012, ocorrido após um show do grupo na cidade de Ruy Barbosa. Outros dois, um homem que era segurança da banda e um músico, foram inocentados.

Todos os envolvidos no caso já haviam sido condenados anteriormente, em maio de 2015, a 11 anos e oito meses de reclusão. No entanto, os réus entraram com recursos e, até o segundo julgamento, aguardavam decisão judicial em liberdade. (G1/BA)
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo