residencial Estudantes de Alagoinhas conquistam 1º lugar em feira científica no Maranhão - São Gonçalo Agora

Estudantes de Alagoinhas conquistam 1º lugar em feira científica no Maranhão

As estudantes Érica Almeida, 19 e Rebeca Silveira, 18, que fazem o curso técnico em Segurança do Trabalho no Colégio Estadual Deputado Luís Eduardo Magalhães, localizado em Alagoinhas, foram premiadas no Movimento Científico Norte Nordeste (MOCINN), que acorreu de 26 a 30 de setembro, no Centro Educacional Arteceb, na cidade de Imperatriz, no Maranhão. Elas conquistaram o primeiro lugar na categoria “Meio ambiente e gestão” com o projeto “SAB – O caminho para combater o descarte indevido do lixo e os problemas ocasionados à comunidade alagoinhense”, e receberam medalhas de ouro, troféu e credenciais para participação na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontecerá em São Paulo, em 2018.

Érica Almeida, que foi acompanhada de sua professora e orientadora Maria de Lourdes Ramos, conta que soube do resultado momentos antes de embarcar para Salvador, pois não pôde ficar até o final do evento. “O MOCINN foi uma grande oportunidade de compartilhamento de ideias. Conheci culturas de outros países, como o México, e fiz amizades com estudantes de outros estados. Quando recebi a notícia por mensagem, dentro do avião, eu quase passei mal de tanta emoção. Estou com o sentimento de dever cumprido”, revela.

A sua colega Rebeca Silveira, que não viajou para o Maranhão, soube da novidade momentos depois e, também, comemorou a conquista. “É muito gratificante saber que um projeto que desenvolvemos com muita dedicação teve visibilidade e reconhecimento em um evento de nível internacional. Realmente o projeto deu certo, pois conseguimos criar sujeitos ecológicos em nossa comunidade, porque o lixo não está mais sendo jogado de forma indevida”, comemora a estudante.

A orientadora Maria de Lourdes Ramos revela que ficou surpresa com o resultado. “Não esperava que fôssemos ficar com o primeiro lugar. Estou muito orgulhosa porque as meninas se dedicaram e estudaram muito para desenvolverem o projeto. Esse reconhecimento mostra que a escola pública tem condições de produzir Ciência e de transformar os alunos em pesquisadores preocupados em resolver problemas sociais. Nossa escola está localizada no bairro Barreiro, na periferia de Alagoinhas, e de fato estimula os estudantes à iniciação científica”, ressalta, entusiasmada. Foto: Divulgação

ASCOM/Educação
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo