residencial Setembro Amarelo: Palestra destaca a importância da campanha de prevenção do suicídio - São Gonçalo Agora

Setembro Amarelo: Palestra destaca a importância da campanha de prevenção do suicídio

O suicídio é um problema de saúde pública e deve ser tratado sob essa ótica, buscando, ainda, afastar o preconceito. Esta é uma avaliação clínica da professora Miriam Elza Gorender, do Departamento de Neurociências e Saúde Mental da Universidade Federal da Bahia (Ufba), e doutora em Ciências da Saúde.

“Detectado o risco, é possível fazer a prevenção, pois é possível se tratar da doença”, disse a especialista, nesta terça-feira (12), em palestra para servidores do Tribunal de Justiça da Bahia.

A doença mental está associada a maioria dos casos de suicídio em todo o mundo, segundo afirmou a professora. “Antes, o estresse era visto como o principal fator nos casos do suicídio, mas outro aspecto começou a ser visto como altamente ligado ao suicídio, que é a doença mental”, disse.

A professora defendeu também a atenção com as pessoas sobreviventes das tentativas, aplicando a posvenção, “um tratamento feito nos moldes do que se faz nos casos da prevenção”, explicou.

Citando dados, Miriam Elza Gorender mostrou que 96,8% dos casos de suicídio têm como base questões mentais, vindo ainda depressão e abuso de substância. “Tratar da pessoa, antes de a tendência ampliar, é o que recomenda a Medicina, daí a nossa preocupação”, comentou.

A palestra proferida pela professora Miriam Gorender integra a campanha Setembro Amarelo, iniciado em 2014 em todo o país, e que o Tribunal de Justiça da Bahia abraçou, com o intuito de conscientizar magistrados e servidores sobre a importância da prevenção do suicídio.

Segundo o Centro de Valorização à Vida (CVV), também participante da campanha, há sintomas que podem indicar se a pessoa tem a intenção suicida, entre as quais, depressão, dependência química e esquizofrenia.

Texto: Ascom TJBA / Foto: Nei Pinto
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo