residencial Piscicultores de São Gonçalo e Conceição de Feira são beneficiados com linha de crédito - São Gonçalo Agora

Piscicultores de São Gonçalo e Conceição de Feira são beneficiados com linha de crédito

O sertão baiano está vivendo um processo de reestruturação para aumentar a produção de peixes na região. A Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria de Agricultura do Estado (Seagri), em parceria com o Banco do Nordeste, está disponibilizando uma linha de crédito de R$ 3,6 milhões para os pequenos produtores familiares da região. O dinheiro será utilizado na implantação de 16 sistemas de criação de peixes. Cerca de 240 famílias serão beneficiadas com os recursos.

A nova linha de financiamento será apresentada aos produtores nesta quinta-feira (21). Técnicos da Bahia Pesca estarão na região realizando palestras e tirando dúvidas sobre o financiamento e o modelo de produção. Os encontros com os piscicultores acontecem em Conceição de Feira, às 8h30 (na Câmara de Vereadores da cidade); e em São Gonçalo, às 14h (na Associação de Pescadores do Xavante). Todos os interessados podem participar do encontro.

Na ocasião, os técnicos da Bahia Pesca falarão também sobre a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), documento necessário para que o produtor possa se candidatar a essa linha de crédito. Os palestrantes falarão sobre os pré-requisitos e procedimentos necessários para obter a declaração, que é gratuita.

O sistema produtivo

A linha de financiamento prevê a implementação, na fase inicial do projeto, de 16 sistemas de condomínio. Cada condomínio terá 15 unidades de produção formadas por quatro tanques-rede. “Cada beneficiário do financiamento será responsável por uma unidade de produção, com capacidade de produzir mais de seis toneladas de peixe por ano. Isso garantirá uma renda mensal de R$ 600 no primeiro ano, valor que pode triplicar a partir do 2º ano”, explica o presidente da Bahia Pesca, Dernival Oliveira Júnior.

“Os produtores serão assistidos por técnicos da Bahia Pesca e do Banco do Nordeste durante cada etapa do projeto, desde a elaboração da proposta de financiamento até a retirada dos peixes para venda e consumo”, complementa o presidente. Além de financiar o projeto, o Banco do Nordeste será responsável também por avaliar o desempenho financeiro dos produtores e, quando julgar pertinente, sugerir correções; e fiscalizar o uso correto dos recursos.

Já a Bahia Pesca é responsável por selecionar os piscicultores que participarão dos programas, enviar ao Banco do Nordeste a proposta de financiamento e o projeto com os respectivos documentos, comprovar a regularidade ambiental dos beneficiários, elaborar projetos de viabilidade técnica, econômica e financeira, e prestar assistência técnica aos produtores.


Fonte: Ascom/Bahia Pesca
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo