Adesão ao Programa Saúde na Escola pelos municípios encerra nesta sexta-feira - São Gonçalo Agora

Adesão ao Programa Saúde na Escola pelos municípios encerra nesta sexta-feira

Encerra, nesta sexta-feira (30), a adesão dos municípios ao Programa Saúde na Escola (PSE), por meio do endereço egestorab.saude.gov.br. O programa terá duração de 24 meses e vai contemplar as escolas públicas do município, independente da esfera administrativa (estadual, municipal e/ou federal). Para a inscrição, os gestores responsáveis pelas secretarias municipais de educação devem indicar as escolas para a participação seguindo critérios, como as condições de vulnerabilidade dos estudantes. Até o momento, a Bahia registra 415 municípios com adesão 100% concluída. Confira o manual de adesão.

O coordenador de Educação Ambiental e Saúde, Fabio Barbosa, da Secretaria da Educação do Estado, fala da importância da adesão dos municípios ao programa. “Considerando que a proposta do PSE vem na perspectiva da articulação entre políticas públicas, a adesão do município é o primeiro passo para as práticas de promoção e prevenção de agravos e doenças em crianças, adolescentes, jovens e adultos”, destaca.

Realizando ações há quatro anos, o Colégio Estadual Ypiranga, no 2 de Julho, promove uma série de atividades com os estudantes, junto à unidade de saúde do bairro, que envolvem vacinações, avaliações de saúde bucal e psicológica, além de palestras sobre diversos temas. “No colégio, nós mantemos um Grupo de Trabalho Intersetorial Local (GTIL) que é integrado por professores, alunos e agentes de saúde. Com isso buscamos, por meio de reuniões, perceber as necessidades da comunidade escolar e oferecer serviços focados nesta demanda”, destacou o professor Zulmiro Souza, articulador da Educação Integral na unidade.

Para Fabio, a criação do GTLI nas escolas é uma das ações incentivadas pela Secretaria. “Apesar do PSE seguir uma proposta de 12 ações, como o combate ao mosquito Aedes aegypti e promoção da segurança alimentar e nutricional, temos a consciência que alguns locais têm demandas específicas que podem ser identificadas pelos agentes sociais do local. Por isso, esse trabalho interno pode contribuir para que possamos ser mais eficientes em nossas ações”, afirmou.

Para a estudante 2º ano, Letícia Silva 16, do Colégio Estadual Ypiranga, o programa vem trazendo diversos benefícios para a comunidade escolar. “Termos essas atividades na escola promovem a saúde dos estudantes de forma regular. Isso é muito importante pois interfere diretamente na condição de aprendizado. Desde o ano passado participo do GTLI e estou bastante motivada para mobilizar os colegas para as atividades que realizamos e vamos realizar durante o ano letivo”, conta.

Fonte: Ascom/Educação
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo