Mulher morre com suspeita de AVC e amigos clamam por saúde pública de qualidade - São Gonçalo Agora

Mulher morre com suspeita de AVC e amigos clamam por saúde pública de qualidade

Saúde Pública de qualidade no Brasil é como garimpar ouro nos dias atuais na Serra Pelada. Não acha mais! Esta visão reflete nos olhos de milhares de brasileiros, principalmente São Gonçalenses que há muitos anos dependem de hospitais de cidades vizinhas e, em casos de estrema urgência às vezes nem vaga encontram.

Podemos analisar essa precariedade em um caso ocorrido nesta sexta-feira (14) em São Gonçalo dos Campos. Tânia dos Santos Daltro, 38 anos, após passar mal em casa foi socorrida às pressas para o Hospital Municipal, e lá segundo familiares, foi constatada a suspeita de AVC (acidente vascular cerebral), ou também conhecido como derrame.
Tânia dos Santos Daltro, 38 anos

Tânia deu entrada na emergência do hospital por volta das 12h, foi atendida dentro das possibilidades que a unidade oferece para esse caso, e ficou aguardando que o hospital conseguisse uma vaga de UTI em algum outro hospital com maior recurso da região. De acordo com as informações solicitaram vaga no Hospital Cleriston Andrade em Feira de Santana, hospital de São Félix e até mesmo no Hospital Geral do Estado em Salvador e não encontraram.

Após 10h de espera e angustia dos familiares, que também tentaram encontrar solução com conhecidos, receberam a triste notícia que Tânia não resistiu e acabou morrendo. Nem os "políticos" que monopolizam a saúde pública distribuindo marcação de exames, consultas, idas e vindas a hospitais da região, cirurgias e vagas em hospitais apareceram. Sabem porque? Não estamos em campanha.

Leiam uma nota feita por uma amiga da falecida e compartilhada nas redes sociais na manhã deste sábado (15).

"QUERO SOLUÇÃO!

Faleceu nesta sexta-feira, 14 de abril, nossa colega Tânia dos Santos Daltro, 38 anos (conhecida por Safi). A mesma deu entrada no Hospital Municipal de São Gonçalo dos Campos, às 12:00 horas, após ter sofrido um aparente derrame em sua residência, na rua Rua Nascimento Ferreira (Lagartixa). Venho aqui pedir a todos para nos unirmos e cobrarmos uma solução. Após solicitação, Tânia ficou na emergência do Hospital Municipal à espera de uma vaga na UTI de algum Hospital da região (Feira de Santana, São Félix, Salvador) e infelizmente, depois de 10h de espera não resistiu e foi a óbito. Acontece que, se aqui em nossa cidade tivesse um Hospital digno e com UTI ela teria tido mais chances de sobreviver. Foi uma luta de amigos e familiares dela, ligando para todos contados possíveis, afim de encontrar uma solução. Pessoal, ontem foi ela, mas poderia ter sido um de nós ou de nossos familiares. Quantos mais precisarão passar pelo mesmo? Observem! Entra e sai prefeito e essa triste realidade não muda. Primeiramente nossa saúde, que não temos!

VAMOS DIVULGAR!"

De acordo com informações de uma plantonista do HGCA, nesta sexta-feira o hospital estava superlotado, o que parcialmente justifica a falta de vaga. Como já escrito acima, o problema Falta de Saúde Pública, além de segurança, educação dentre outros direitos do cidadão é geral e desumano. Se tratando de São Gonçalo nem uma ambulância digna pode-se contar. Quem sabe se o município tivesse uma UTI Móvel e profissionais especializados Tânia fosse salva?

Por Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo