residencial Qual será o futuro do transporte alternativo de São Gonçalo dos Campos? - São Gonçalo Agora

Qual será o futuro do transporte alternativo de São Gonçalo dos Campos?

São Gonçalo dos Campos vive hoje um grande dilema no serviço de transporte alternativo prestado na cidade para Feira de Santana. Nas últimas semanas fortes debates têm sido travados nas redes sociais e grupos de WhatsApp.

O motivo inicial desses últimos debates ocorreu devido ao aumento da tarifa da Sindkosan, para R$ 4,00, motivo de muitas críticas por parte dos usuários do transporte. Na ocasião outras associações e cooperativas que também prestam o serviço começaram a cobrar R$ 3,00 e a Sindkosan foi obrigada a baixar a tarifa para o mesmo valor.

E não faltam motivos para a opinião pública criticar também a falta de qualidade e segurança do transporte envolvendo todos os prestadores. No último dia 4 houve um "embate" entre a Sindkosan e a Associação Amarante Transporte nas imediações do Colégio Padre Ovídio, próximo a Marechal Deodoro em Feira de Santana. O motivo foi a nova associação fazer o embarque de passageiros nas proximidades do ponto da Sindkosan e também a legalidade do novo ponto, autorizado pela secretaria responsável em Feira de Santana. Alguns passageiros relataram que foram impedidos de utilizar o transporte e o clima era de um possível forte confronto entre os motoristas e cobradores de ambas as prestadoras.

Nesta quarta-feira (14), a prefeitura de São Gonçalo determinou e publicou no Diário Oficial que as associações ASSTASGA e COOPERSG só poderão fazer o embarque de passageiros na Av. Dr. Antonio Muniz e depois do Colégio Polivalente, sentido Murilo Leite. Em caso de descumprimento, as prestadoras terão seus alvarás caçados e multa, conforme o código Tributário Municipal. Essa determinação também está sendo alvo de críticas por parte dos usuários e principalmente dos associados das referidas associações.

Um dos associados enviou para o WhatsApp deste portal a seguinte crítica: "Deixa o homem trabalhar assim. Pra satisfazer a vontade da SINDKOSAN o prefeito resolve tirar o direito de IR e VIR do nosso povo proibindo o embarque de passageiros para Feira de Santana dos novos transportes que trouxeram mais comodidade e passagem mais barata. Só podendo embarcar após o Polivalente. Mais um decreto contra a nossa população."

A Sindkosan é pioneira e atua na cidade há cerca de 40 anos. Esteve durante todos esses anos, juntamente com as outras associações e cooperativas que surgiram anos depois, prestando este tipo de serviço na ilegalidade. Pois nenhuma delas tinham a concessão da "linha de transporte intermunicipal de passageiros", que só pode ser concedida através de licitação por parte da AGERBA (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia).

No ano passado houve um processo licitatório desta linha de transporte e, a Sindkosan, única participante da cidade, foi declara vencedora, e agora só aguarda a assinatura do contrato com o Governo do Estado e, a partir disso, trabalhar definitivamente dentro da legalidade pelos próximos sete anos.

Por Sandro Araújo/São Gonçalo Agora
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo