residencial Polícia Militar reforça segurança em pontos de entrega de abadás - São Gonçalo Agora

Polícia Militar reforça segurança em pontos de entrega de abadás

Até a próxima terça-feira (28), cerca de 400 policiais militares reforçam a segurança em diversos pontos da cidade onde são comercializados e entregues fantasias e abadás. A Operação Abadá 2017, que já acontece há alguns anos, tem inibido os assaltos e furtos a foliões que retiram suas camisas em pontos como os shoppings e outros espaços. O policiamento especial já começou no último dia 18.

Em alguns locais, foram criadas estruturas físicas para dar apoio à segurança, como postos avançados da PM, na parte externa e no entorno dos grandes centros de compras. Além disso, unidades especializadas, como o Esquadrão de Motociclistas (Águia), a Polícia Montada (Cavalaria), e a Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT) / Rondesp, dão apoio às equipes que trabalham na operação. Foi reforçada a segurança dos shoppings da Bahia, Bela Vista e Paralela, além da sede do Ilê Ayê, o Parque Atlântico (Boca do Rio), Jardim Brasil (Barra), Comércio (Terminal Náutico), além do aeroporto.
Além da segurança reforçada, para o folião que for comprar ou buscar os abadás, vale tomar alguns cuidados como não se expor, nem expor as camisas dos blocos. É aconselhável colocar as fantasias em sacolas que não fiquem visíveis, além de redobrar a atenção ao sair desses locais. Segundo o porta-voz da Polícia Militar, capitão Bruno Ramos, a PM pode e deve ser acionada em qualquer ponto da cidade em que o folião notar alguma movimentação considerada suspeita ou testemunhe atividades ilícitas.

“A nossa operação é de prevenção, porque neste período do ano em que os abadás se transformam em moeda de troca, já temos conseguido diminuir significativamente o número de ocorrências ao longo dos anos de operação. Estamos cobrindo diversas áreas, mas todo folião, cidadão baiano, turista, que observar qualquer tipo de movimentação ou atitudes de pessoas os observando, seguindo, seja na rua, dentro de um ônibus, ou em qualquer lugar, deve solicitar ajuda imediatamente através do 190 ou da guarnição mais próxima”, explicou o capitão.

Repórter: Anna Larissa Falcão
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo