residencial Acusado de assaltos e assassinato é preso com comparsa no Magalhães em São Gonçalo - São Gonçalo Agora

Acusado de assaltos e assassinato é preso com comparsa no Magalhães em São Gonçalo

Policiais de Feira de Santana sob o comando do Delegado André Ribeiro, da DRFR - Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos, prenderam na tarde de quarta-feira (08), no povoado do Magalhães em São Gonçalo dos Campos, Maurício Ferreira de Jesus, 21 anos (camisa azul) e Reinan da Silva e Silva, 23 anos (camisa vermelha), ambos moradores da Fazenda João Mendes, São Gonçalo.

De acordo com a polícia, a dupla é acusada do roubo de um veículo Fiat/Strada, cor branca, placa policial AWE-5385,licença de Jequié, Bahia, tomada em assalto na tarde de quarta-feira (08), por volta das 13h, em Feira de Santana, sendo que também fizeram a proprietária refém, chegando a obrigá-la a sacar a quantia de R$ 2 mil reais em um banco 24h. Além disso a dupla, ainda com a refém, praticaram vários assaltos a transeuntes subtraindo deles vários aparelhos celulares e outros pertences.

Achando pouco tudo que já haviam feito, nas proximidades do Feira X resolveram tomar de assalto outra Strada, de cor prata, de placa policial NYH-1622, Licença de Feira de Santana, e abandonaram em seguida o primeiro veículo roubado.

Ainda de acordo com a DRFR, os meliantes foram reconhecidos por várias vítimas de roubo a veículos e celulares, que de posse dos indivíduos foram encontrados um revólver calibre 32 com seis munições intactas, reconhecido por vítimas, três relógios, a quantia de R$ 450,00, uma corrente de pescoço de ouro, uma aliança de ouro, um celular IPhone, um celular Alcatel da proprietária da Fiat/Strada.
De acordo com o investigador de polícia civil Weliton, da delegacia de São Gonçalo dos Campos, Maurício Ferreira de Jesus foi preso em 2016 pelos policiais da DRFR sob a acusação de ter sido um dos autores ao latrocínio, roubo seguido de morte, que vitimou em junho do ano passado o motoboy conhecido como "Galego do Tomba", no Corredor dos Ferreiras, em São Gonçalo dos Campos.

"O acusado estava solto porque na ocasião da prisão, realizada no loteamento Ouro Verde em São Gonçalo, conseguiu soltura pois não tinha ainda mandado de prisão preventiva decretado em seu favor, e também por não ter sido pego em flagrante pelas acusações da prática de assaltos na cidade de Santo Amaro. Só após sua soltura a polícia de São Gonçalo conseguiu dois mandados de prisão preventiva na comarca da cidade e o mesmo encontrava-se foragido," disse o investigador.

OUÇA O INVESTIGADOR FALANDO MAIS DETALHES



Por Sandro Araújo/São Gonçalo Agora
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo