Réveillon vai injetar R$ 400 milhões na economia de Salvador - São Gonçalo Agora

Réveillon vai injetar R$ 400 milhões na economia de Salvador

Quem passou ao redor do palco instalado na Arena Daniela Mercury, na Praça Cairu, no Comércio, na manhã desta quarta-feira (28), pôde escutar a banda É o Tchan passando o som com sucessos que marcaram a trajetória do grupo. Foi só uma prévia do que vai acontecer hoje, quando o local será tomado por milhares de pessoas para o primeiro dia do Réveillon Salvador 2017. “Conforme combinado, hoje é a passagem de som de todas as bandas. Ontem na madrugada, em torno de 1h, a gente concluiu toda a parte de testes de iluminação, incluindo lasers e LEDs. Foi um show à parte, as pessoas até pararam para ver”, disse Isaac Edington, presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), em coletiva à imprensa nesta manhã.

Na ocasião, Edington explicou como foi a preparação para a festa e a expectativa da Prefeitura para o evento. “Hoje terá cinco atrações ininterruptas, de 18h até 5h30. A gente quer de fato que as pessoas venham, cheguem cedo e procurem o melhor lugar para assistir aos shows”, recomendou. O gestor destacou que este Réveillon difere dos anteriores em diversos quesitos. São eles: acréscimos de atrações musicais (29 atrações em cinco dias), shows piromusical - música atrelada aos fogos por meio de um sistema computadorizado - e de lasers, além da interatividade para quem for curtir as atrações na Praça Cairu.

Durante a festa, as pessoas vão poder mandar mensagens nas redes sociais com a hashtag #VivaSalvador2017. A postagem será veiculada nos telões da festa durante os intervalos dos shows, podendo interagir com pessoas do mundo inteiro. A banda É o Tchan é a última atração neste primeiro dia de apresentações musicais no Comércio. O grupo se apresenta de 3h30 até 5h, mas a festa começará bem antes disso - às 18h - com Alavontê, seguido de Anitta, Claudia Leitte, Bell Marques e Simone e Simaria.

Investimento - O investimento para a realização do Réveillon foi outro ponto destacado pelo presidente da Saltur, ao explicar que a ideia da Prefeitura é transformar Salvador no principal destino turístico brasileiro. O município é a única capital no Brasil que conseguiu manter o patamar de investimento mesmo diante que da crise econômica que atinge o país.

“Salvador está com as finanças em dia, tem pagado seus fornecedores, investido em educação e em saúde. É um momento muito importante para a cidade que tem como fontes econômicas o turismo e a cultura” disse Edington. Ele ainda ressaltou que o Réveillon contou com apoio da iniciativa privada, que deu aporte de mais de 60% dos investimentos financeiros empregados para realização do evento.

Os patrocinadores oficiais da festa são Skol, Bradesco e Avatim. Em números atualizados, o Réveillon de Salvador custará R$9 milhões, sendo 40% de recursos públicos, destinados aos serviços públicos como limpeza, saúde, mobilidade urbana, segurança e ordenamento. O número é bastante inferior ao que a cidade vai arrecadar com a movimentação econômica, que é mais de R$ 400 milhões, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

“É um retorno fenomenal para Salvador, para toda a questão da imagem da cidade. Semana passada a Associação Brasileira de Agências de Viagens da Bahia (Abav) divulgou informação muito importante no cenário turístico nacional. Salvador e Rio de Janeiro são as capitais brasileiras com mais demandas para o Réveillon de 2017. Isso deixa a gente muito satisfeito. Afinal de contas, é o coroamento de um trabalho sério que tem sido feito nos últimos quatro anos no sentido de elevar novamente Salvador a uma posição de destaque no cenário do turismo nacional e internacional”, concluiu Isaac Edington.

AGECOM - Assessoria Geral de Comunicação
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo