Missa de finados será celebrada as oito e trinta no Cemitério de São Gonçalo - São Gonçalo Agora

Missa de finados será celebrada as oito e trinta no Cemitério de São Gonçalo

Nesta quarta-feira (02), feriado de finados, milhares de pessoas visitarão o Cemitério Municipal de São Gonçalo dos Campos, a fim de depositar flores, ascender velas ou até mesmo orar pela alma do ente-querido.

Os fiéis da paróquia de São Gonçalo poderão também participar de uma Missa, às 7:30h, na Igreja Matriz, e com transmissão ao vivo pela Rádio São Gonçalo AM 1.410, e outra às 8:30h, celebrada diretamente do cemitério.

Preocupado com o grande número de visitantes no cemitério nesta quarta, o governo municipal providenciou uma limpeza geral, pintura e o local já encontra-se pronto desde a semana passada para receber a todos nesse feriado.

O Dia de Finados

O Dia dos Fiéis Defuntos ou Dia de Finados, (conhecido ainda como Dia dos Mortos no México), é celebrado pela Igreja Católica no dia 2 de novembro.

Desde o século II, alguns cristãos rezavam pelos falecidos, visitando os túmulos dos mártires para rezar pelos que morreram. No século V, a Igreja dedicava um dia do ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém lembrava. Também o abade de Cluny, Santo Odilon, em 998 pedia aos monges que orassem pelos mortos. Desde o século XI os Papas Silvestre II (1009), João XVII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia aos mortos. No século XIII esse dia anual passa a ser comemorado em 2 de novembro, porque 1 de novembro é a Festa de Todos os Santos. A doutrina católica evoca algumas passagens bíblicas para fundamentar sua posição (cf. Tobias 12,12; Jó 1,18-20; Mt 12,32 e II Macabeus 12,43-46), e se apoia em uma prática de quase dois mil anos.

Os Protestantes afirmam que a doutrina da Igreja Católica Romana que recomenda a oração pelos falecidos, é desprovida de fundamento bíblico. Segundo eles, a única referência a este tipo de prática estaria em II Macabeus 12,43-46. Porém os protestantes não reconhecem a canonicidade deste livro, portanto não cultuam esse dia. Para os espíritas, visitar o túmulo é a exteriorização da lembrança que se tem do espírito querido, é uma forma de manifestar a saudade, o respeito e o carinho. Desde que realizada com boa intenção, sem ser apenas um compromisso social ou protocolar, desde que não se prenda a manifestações de desespero, de cobranças, de acusações, como ocorre em muitas situações, a visitação ao túmulo não é condenável. Apenas é desnecessária, pois a entidade espiritual não se encontra no cemitério, e pode ser lembrada e homenageada através da prece em qualquer lugar. A prece ditada pelo coração, pelo sentimento, santifica a lembrança, e é sempre recebida com prazer e alegria pelo espírito desencarnado.

São Gonçalo Agora

Veja as imagens do Cemitério Municipal

Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo