residencial Cupins colocam em risco altares da centenária Igreja Matriz de São Gonçalo dos Campos - São Gonçalo Agora

Cupins colocam em risco altares da centenária Igreja Matriz de São Gonçalo dos Campos

A Igreja Matriz de São Gonçalo dos Campos, fundada em 1696, um monumento admirado por todos e principal referencia da cidade, apesar de sua quase indestrutível estrutura, composta por grandes pedras e paredes de um a quase dois metros de espessura, vem precisando de reparos minuciosos, que abrangem suas partes externa e interna, chegando até aos altares, obras magnificas e grandes ícones da Igreja Católica.

Pode até não parecer, mas de acordo com o pároco Miguel, uma Igreja com 320 anos, gigantesca com a de São Gonçalo, é impossível não existir problemas. Os sinais de problemas começaram aparecer em 2013, quando parte do forro da "nave" cedeu e, por oferecer grande risco aos fiéis, a Igreja precisou ser interditada até que os reparos fossem realizados. Na época as missas semanais eram realizadas na sacristia.

Após esse grande susto, foi a vez de trocar o seu telhado, por sinal principal causador do problema no forro devido as infiltrações. Todo o telhado foi trocado. Nele foram utilizadas 45 mil telhas duplas (telha bica e capote). Tanto o concerto do forro quanto o telhado só foram possíveis com a ajuda dos fiéis e da própria Igreja, além das doações de empresários e prefeitura municipal.
Nave
Ainda segundo o pároco Miguel, mesmo sem muito recurso, todos os padres que por ela passaram não deixaram de realizar os necessários reparos. No momento está havendo reclamações sobre algumas plantas que nasceram nas paredes das torres. Não oferece risco de abalar sua estrutura física, mas o correto é retirar as plantas. Há meses estamos à procura de uma empresa que possa realizar o serviço, só agora conseguimos uma e nos próximos dias iremos agendar uma data e fazer a retirada.

Outro problema são os cupins. Um altar ficou completamente comprometido e encontra-se em trabalho de restauração. "Com a idade da Igreja é inevitável nos livramos dos cupins e outros insetos indesejáveis. Outros altares também precisam dos mesmos cuidados. O trabalho é minucioso e muito caro. Só com o altar de Nossa Senhora das Dores a Igreja está pagando um altíssimo valor aos restauradores. Dentro das condições da paróquia estaremos realizando os reparos necessários na Igreja, infelizmente com alguma demora e uma coisa por vez, mas com Fé em Deus, a ajuda dos fiéis e outras doações iremos conseguir", disse o pároco Miguel.
São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo