residencial Rota da Independência percorre sete municípios do Recôncavo baiano - São Gonçalo Agora

Rota da Independência percorre sete municípios do Recôncavo baiano

O Recôncavo baiano está na contagem regressiva para mais uma comemoração da Independência da Bahia, que, neste ano, acontece mais cedo, com o projeto Rota da Independência’, promovido pela Fundação Pedro Calmon em parceria com a Fundação Cultural da Bahia (Funceb) e o Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (Ipac), vinculadas à Secretaria de Cultura do Estado (Secult). Com o título ‘2 de Julho é Todo Ano, 2 de Julho é Todo Dia’, a ação começa nesta segunda-feira (13), pelo município de Santo Amaro.

Em sua 9ª edição, o projeto revisita algumas das cidades baianas que protagonizaram as lutas pelo processo de independência do Brasil. “A proposta principal é difundir e contextualizar a história referente às batalhas de expulsão das tropas portuguesas da Baia de Todos-os-Santos e da Cidade de Salvador, entre 1822 e 1823, e a consequente consolidação da independência do Brasil na Bahia”, explica o diretor do Centro de Memória da Bahia, Rafael Fontes.

Da programação, que acontece neste mês, constam oficinas de leitura, contação de histórias e apresentações artísticas (dança, teatro e musica), nos municípios de Santo Amaro (13), São Francisco do Conde (14), Cachoeira (15), São Félix (16), Maragogipe (17) e Itaparica (20), no Recôncavo, e em Caetité (29), no centro sul. De acordo com o diretor-geral da FPC, Zulu Araújo, a Rota aproxima a relação entre Estado e o cidadão, na medida em que enaltece as datas históricas e cívicas. “A presença da Fundação fortalece o capital simbólico desta luta, atuando no campo da sua preservação histórica, num território [Recôncavo] com importância singular para celebrações pela Independência do Brasil na Bahia.

O secretário de Cultura de Cachoeira, André Reis, afirma que a Rota da Independência é essencial para reforçar a relevância dos municípios envolvidos na Independência do Brasil na Bahia. “Esse projeto está vinculado à memória, que é importante para reflexão da nossa cultura identitária e é interessante demarcar essa relação dos municípios e reforçarmos essas datas. Além disso, a forma de segmento do roteiro de maneira linear de acontecimentos contribui na reconstituição da história”.

Cidadania

A programação de 2016 da rota apresenta diferentes formas de celebrações praticadas em decorrência da Independência, enfatizando o sentido de cidadania e a participação popular. Além disso, envolve as escolas dos municípios que serão visitados, buscando instrumentalizar os professores locais para trabalharem com a história da Independência do Brasil na Bahia e suas celebrações, investindo em performances culturais e estreitando o diálogo com os jovens. Neste sentido, a Fundação Cultural apresentará em cada município daRrota, performances de dança apresentada por jovens da Escola de Dança da Funceb.

Em Santo Amaro, será apresentada a coreografia ‘Diferente Semelhança’, do Núcleo Nordeste Amaralina. Em São Francisco do Conde, a montagem ‘Corpos Ancestrais’, com os alunos do 3º semestre profissional. Em Cachoeira, os alunos dos cursos livres apresentarem ‘Bufyo’, que retrata a transformação de Yansã para o Búfalo. No município de Itaparica, o público vai conferir o espetáculo ‘Berrantes’, com a temática da cultura nordestina. Em Caetité, o show é musical, com a apresentação da Orquestra da Funceb (Ofun).

Em todos os municípios também estão confirmadas as aulas-espetáculo História Estoriósa da Independência da Bahia, que falam sobre a importância da Celebração da Independência do Brasil na Bahia, e ocorrem nas ruas ou praças públicas, com o objetivo de informar a população sobre o Dois de Julho por meio da arte.

Fonte: Ascom/Fundação Pedro Calmon (FPC)
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo