residencial 40% dos municípios baianos não bateram a meta contra H1N1. São Gonçalo alcançou 78,59% - São Gonçalo Agora

40% dos municípios baianos não bateram a meta contra H1N1. São Gonçalo alcançou 78,59%

Com o fim da vacinação contra a gripe H1N1 na sexta-feira (20), 168 municípios da Bahia não bateram a meta de vacina 80% dos grupos prioritários. São Gonçalo dos Campos só alcançou 78,59%. Na cidade não houve publicidade da campanha e a imprensa precisava de autorização do prefeito ou secretária de saúde para saber o andamento da campanha.
O número representa 40% das 417 cidades da Bahia. A pesquisa dos dados foram extraídas no DataSUS, e mostrou também que, das dez maiores cidades do Estado, apenas Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Ilhéus conseguiram atingir o objetivo. Camaçari (74,22%), Itabuna (63,04%), Juazeiro (77,85%), Lauro de Freitas (70,45%), Jequié (79,45%) e Teixeira de Freitas (72,64%) ainda não conseguiram vacinar crianças que tenham mais de 6 meses e menos de 5 anos, gestantes, mulheres que deram à luz há até 45 dias, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, pessoas com 60 anos ou mais de idade, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional ou quem tem doenças crônicas não transmissíveis ou outras condições clínicas especiais. 
No estado, os menores índices de imunização estão nas cidades de Biritinga (21,9%) e Itapetinga (34,72%). A coordenadora de imunização de Itapetinga afirmou que o número baixo de vacinação na cidade, na verdade, é uma falta de atualização no sistema do SUS. “A gente já está com mais de 80% dos grupos prioritários. A nossa meta foi vacinar mais 14.500 mil pessoas e conseguimos”, afirmou a enfermeira Bruna Lima Martins. Biritinga não prestou esclarecimentos. 
A demora na atualização do sistema foi confirmada pelo coordenador do Programa Estadual de Imunização, Ramon Saavedra. De acordo com ele, o sistema ficará aberto até o dia 10 de junho, mas a orientação é de que as prefeituras atualizem com constância o banco de dados. 
“Vamos solicitar que as cidades atualizem o sistema com o máximo de antecedência. Tem uma subnotificação, realmente. Só a partir do dia 10 de junho teremos um número final. Estamos em fase de alimentação. A campanha foi atípica, nem sempre dá para atualizar o sistema na hora. Tem alguns municípios com atraso”, admitiu. 
Apesar disso, Ramon Saavedra afirmou que a vacinação, este ano, foi acima da expectativa e disse que Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) irá analisar caso a caso das cidades que ficarem muito abaixo da meta. 
“Comparando-se com os outros anos, foi bom. Superou as expectativas. Nos outros anos a população não se mobilizava tanto. Apesar disso, temos que ter uma homogeneidade na imunização no estado todo. Não adianta ter cidade 'x' com 100% e outra com 40%. Isso acaba ajudando o vírus a ganhar força”, explicou.  
São Gonçalo Agora/BN.
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo