residencial Motivo do Racha: Mudanças em Furnas deram início a conflito entre Dilma e Cunha - São Gonçalo Agora

Motivo do Racha: Mudanças em Furnas deram início a conflito entre Dilma e Cunha

De acordo com o depoimento em delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), o início do "enfrentamento" entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a presidente Dilma Rousseff foi motivado por mudanças que a petista promoveu na diretoria da estatal Furnas.

À Procuradoria Geral da República (PGR), Delcídio disse que a diretoria de Furnas anterior à atual era muito ligada a Eduardo Cunha e que, embora não tenha visto, acredita que o peemedebista tenha recebido vantagens ilícitas porque tinha “comando absoluto da empresa”.

Segundo o ex-líder do governo no Senado, Dilma, “há uns quatro anos”, promoveu uma intervenção na empresa para cessar com as práticas ilícitas. Ele afirma que à época havia muitas notícias de negócios suspeitos e ilegalidade na gestão da empresa e que, na impressão dele, “a coisa passou da conta”.

A intervenção de Dilma na estatal, então, deu início ao enfrentamento entre Cunha e a presidente “pois este ficou contrariado com a retirada de seus aliados de dentro da companhia”, segundo o delator.

Entre os aliados de Cunha dentro de Furnas citados por Delcídio estão o ex-prefeito do Rio de Janeiro Luis Paulo Conde, que faleceu no ano passado e presidiu a estatal entre 2007 e 2008; e o também ex-presidente da estatal Carlos Nadalutti Filho, que, em novembro de 2011, admitiu que chegou ao cargo por indicação do PMDB.
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo