residencial Virou moda: roubo de celulares aumenta a cada dia em São Gonçalo dos Campos - São Gonçalo Agora

Virou moda: roubo de celulares aumenta a cada dia em São Gonçalo dos Campos

Espécie de computador de mão, cada vez mais sofisticado e de uso quase obrigatório pela sociedade moderna, de crianças a idosos, o celular se transformou no produto mais cobiçado pela bandidagem.

Entre a semana passada e esta terça-feira (26) cerca de 3 aparelhos já foram roubados em São Gonçalo. 1 semana passada no bairro do Boqueirão, 1 ontem à tarde no bairro da Pitubinha, próximo ao Hospital Municipal e 1 hoje por volta das 7h na praça da Bandeira. Também entre 2015 e este mês de janeiro cerca de 20 aparelhos foram roubados somente de clientes da Pizzaria e Sorveteria Nery. Ao todo, 8 vezes assaltada. No último assalto 3 aparelhos foram levados.

O roubo de aparelhos cresceu cerca de 100% no último ano em São Gonçalo dos Campos com base nos registros das próprias vítimas em sites da cidade, redes sociais e queixas registradas. Existe a possibilidade das autoridades indicarem que o índice pode ser bem maior porque nem todos os casos são registrados.

A onda de crimes se espalha de tal modo que criminosos atacam crianças, adolescentes, adultos e idosos a qualquer hora do dia com a finalidade exclusiva de levar telefones, alguns ao custo de R$ 1 mil, que se vendido pelo mesmo valor, levanta dinheiro suficiente para comprar uma boa quantidade de drogas principal motivo do crime.

A avalanche dos roubos causa prejuízos financeiros, traumas psicológicos e mudanças de comportamento entre as vítimas e, o mais grave, pode causar perda de vidas em caso de reação.

O destino dos telefones roubados fomenta o comércio paralelo entre os criminosos. Esta prática é considerada uma "profissão" para os criminosos. Tem delinquente largando o tráfico de drogas para roubar celular. É uma febre nacional.

A enxurrada de roubos tem levado vítimas a alterar rotinas e abrir mão de prazeres. "Primeiro passei a usar dois celulares, um antigo e um moderno, mas depois desisti. Agora, minha bolsa só tem a carteira de habilitação e um cartão de crédito. E uso um telefone que custou R$ 200. Em hipótese alguma vou comprar um celular de R$ 1 mil", disse uma moradora da cidade.

Previna-se

- Evite falar ou expor o celular em lugares públicos e deixe o aparelho no modo silencioso. Nas ruas, prefira caminhos iluminados e movimentados, e proteja o aparelho na roupa ou em algum objeto.

- Adolescentes costumam ser alvos de roubos na entrada e saída de escolas. O mais recomendado é andar em grupos e evitar o uso do fone de ouvido para não chamar atenção. 


- Em caso de abordagem por um ladrão, não reaja. Ele pode estar armado ou drogado e agir com violência.


O "chassi" do celular

-Todo celular sai de fábrica com um número de série. É como se fosse o chassi mundial do telefone, chamado de Imei (Identificação Internacional de Equipamento Móvel).
-Composto por 15 números, o Imei pode ser visualizado digitando na tela *#06#. O Imei também vem especificado na nota fiscal de compra do celular. Memorize ou tenha sempre o número em mãos.

-Em caso de roubo, furto ou perda, a vítima deve registrar uma ocorrência policial. Entrar em contato imediato com a operadora, informando seus dados, e solicitar o bloqueio do chip (linha), além de comprar um chip novo para continuar usando a mesma linha. Ao resgatar os dados como agenda, contatos e mensagens, você impede que o ladrão use seu cadastro em outro aparelho e o chip roubado fica inutilizado.

- Você também pode solicitar à operadora o bloqueio do Imei, deixando o telefone mudo. A medida inviabiliza que outra pessoa use o celular, e o furto do aparelho deixa de ser lucrativo para os criminosos. Mas se o Imei permanecer desbloqueado, é possível rastrear a localização do aparelho, e a polícia recuperá-lo. 


-O Brasil tem 281,4 milhões de celulares ativos. Em todo o país, são 5,7 milhões de aparelhos bloqueados por causa de furto, roubo ou extravio (não há estatística por Estados). É possível saber se um celular está bloqueado com o número do Imei neste site https://www.consultaaparelhoimpedido.com.br. Ao reaver o celular, o proprietário pode solicitar o desbloqueio do Imei. 


-É possível instalar aplicativos de segurança de rastreamento de celulares que você monitora por meio de computador. Alguns custam R$ 20 e tiram fotos, filmam e gravam áudio do ambiente a cada toque na tela ou quando digitam a senha errada. Existem aplicativos que também informam a rede wi-fi que está sendo usada.


-Especialistas afirmam que é impossível alterar o número do Imei. Quem compra celular de procedência duvidosa, corre risco de ser identificado pela polícia, ter o aparelho apreendido e responder a inquérito por receptação de produto roubado (pena de até quatro anos de prisão). 


São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo