Prefeito de São Gonçalo reduzirá seu salário, do vice e secretários em 30% - São Gonçalo Agora

Prefeito de São Gonçalo reduzirá seu salário, do vice e secretários em 30%

O salário do prefeito é R$ 12.500,00 e do vice prefeito é R$ 7.500,00. Dos vereadores é R$ 6.012,70.
Após sugerir participação da população nas discussões sobre o reajuste salarial dos vereadores, prefeito e vice prefeito, PL que será colocada em pauta na Câmara de Vereadores no segundo semestre de 2016, o prefeito Antonio Dessa Cardoso "Furão", do município de São Gonçalo dos Campos, decidiu agora reduzir seu próprio salário, do vice prefeito, chefe de gabinete, secretários e chefes e diretores. De acordo com o prefeito a redução será de 30% e o decreto será publicado na próxima terça-feira (08).

O assunto, "reajuste salarial de vereadores, prefeito e vice", vem sendo discutido no programa Planeta Notícia da rádio São Gonçalo após a grande repercussão dos moradores de Santo Antônio da Platina (PA), Fazenda Rio Grande (PA), Palmas (TO), Poços de Caldas (MG), Poções dentre outras se articularem e brigarem pela redução dos salários dos vereadores e prefeitos dessas cidades. Após repercussão nacional centenas de cidades do País estão iniciando movimentos parecidos e todos com o mesmo objetivo, que é a redução desses salários.

Em Santo Antônio da Platina, de acordo com a emenda do projeto, o salário do prefeito, que iria de R$ 14,7 mil para R$ 22 mil, será agora de R$ 12 mil.

Já o salário do presidente da Câmara, que passaria de R$ 4 mil para R$ 8,5 mil, vai ser de R$ 970. O dos vereadores, que subiria de R$ 3,7 mil para R$ 7,5 mil, também será de R$ 970.

A alteração no projeto foi aprovada por sete votos a um. O presidente da Câmara não vota nesses casos, conforme o regimento da Casa.

O salário dos vereadores em São Gonçalo é R$ 6.012,70, do prefeito é R$ 12.500,00 e do vice prefeito é R$ 7.500,00.

Durante uma entrevista ao Planeta Notícia no dia 27 de agosto, Furão informou ter se reunido com alguns vereadores de sua bancada para tratar deste assunto na cidade, e afirmou ser favorável a uma ampla discussão, sugerindo a participação da população em geral em possíveis audiências, para que juntos estabeleçam o mais merecido e adequado, tanto comparado a realidade da cidade quanto a do País, que vem enfrentando uma séria crise. Ainda de acordo com o prefeito, que tem pretensões em concorrer ao cargo de Deputado Federal em 2018, este movimento precisa chegar também aos deputados, senadores, governadores e presidência, que vivem em condições mil vezes mais cômodas que os vereadores e prefeitos do País. Confira na integra a entrevista do prefeito clicando aqui.

O mapa da mobilização

Confira os efeitos da pressão exercida pela população

Além Paraíba
A Câmara Municipal aprovou projeto de lei reduzindo o salário dos secretários de R$ 6 mil para R$ 3.941, mas nada de mexer no deles, apesar da pressão que vem sendo feita pelos moradores para que os vencimentos dos parlamentares também sejam cortados.

Perdões
Moradores da cidade pressionaram, e os salários acabaram cortados em até 30%. A remuneração dos vereadores vai cair de R$ 6,2 mil para R$ 4,9 mil; a do prefeito, de R$ 15 mil para R$ 13,9 mil; do vice-prefeito, de R$ 6,7 mil para R$ 4,4 mil; e a dos secretários, de R$ 8 mil para R$ 5,2 mil.
Os valores passam a valer a partir de 2017.

Capelinha
Tramita desde o dia 14 um projeto de lei que prevê a redução dos subsídios dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários. O texto determina que, a partir da próxima legislatura, os vencimentos sejam indexados ao reajuste do salário mínimo. Caso seja aprovado, os vereadores vão ganhar dois salários mínimos.

Cássia
Projeto de lei já em tramitação pretende estabelecer o teto de um salário mínimo e meio para os vereadores, valor que corresponde a R$ 1.182, cinco salários para o vice-prefeito (R$ 3.940) e 10 salários para o prefeito (R$ 7.880).

Carmo do Cajuru
Projeto de lei já em tramitação prevê a redução dos salários dos 11 parlamentares, do prefeito e do vice-prefeito. Atualmente, os vereadores recebem R$ 4,2 mil. A proposta é reduzir para R$ 2,1 mil. O prefeito, cujo salário atual é de R$ 11,5 mil, passaria a receber R$ 10 mil, enquanto o vice, que atualmente ganha R$ 5,7 mil, teria o mesmo vencimento dos vereadores.

Araxá
Desde julho, tramita na Câmara Municipal projeto de lei reduzindo o salário dos parlamentares de R$ 8.930,20 para R$ 8.103,12 e o congelamento desses valores até 2020. Outra proposta quer reduzir os salários para R$ 3,5 mil e descontar um quarto do vencimento para quem faltar às sessões da Câmara.

Espera Feliz
Já tramita na Câmara Municipal da cidade projeto de lei propondo a redução do salário dos 11 vereadores em 65%.

Igarapé
Manifesto na internet recolhe assinaturas para pressionar Câmara a reduzir pela metade os vencimentos do prefeito, do vice e dos secretários e dos vereadores, que recebem R$ 6,2 mil, para um
salário mínimo.

Uberlândia
Manifesto recolhe assinaturas para a redução do salário dos 27 vereadores, pela diminuição do número de parlamentares para 21 e para o estabelecimento de um limite para a recandidatura. O manifesto já obteve 1.302 assinaturas. Meta é chegar a 6 mil.

Ituiutaba
Movimento Amigos de Ituiutaba recolhe há duas semanas, nos principais pontos da cidade, assinaturas para um projeto de lei de iniciativa popular que propõe que o salário dos vereadores seja o mesmo que o piso nacional dos professores
(R$ 1.917,78). Os parlamentares ganham hoje R$ 7,3 mil.

Janaúba
Internautas pressionam, via redes sociais, para que os salários dos vereadores sejam reduzidos de R$ 7 mil para R$ 1,5 mil, mas não há projeto em tramitação, só pressão. Tanto que a Câmara Municipal divulgou nota oficial negando que esteja discutindo o salário dos vereadores e explicando que qualquer alteração só pode se feita por meio de projeto de autoria da Mesa Diretora.

Brumadinho
A Câmara Municipal rejeitou em duas comissões o projeto de lei que propunha a redução dos vencimentos dos 13 vereadores de R$ 7,4 mil para R$ 6,3 mil, mas aprovou o corte do salário dos agentes comunitários de saúde de R$ 981,50 para R$ 819,64. A decisão provocou revolta na população, que organizou um protesto. O Executivo retirou de pauta a proposta de corte e enviou outra de aumento.

Montes Claros
Uma campanha coleta assinaturas para o envio à Câmara de projeto de lei de iniciativa popular pedindo a redução do salário dos vereadores, que recebem R$ 15 mil mensais. O movimento tenta conseguir o apoio de 15 mil eleitores para enviar proposta para a Câmara.

Manhuaçu
Campanha arrecada assinaturas para pressionar a Câmara a aprovar a redução dos salários dos vereadores. A proposta sugere que os parlamentares ganhem o mesmo que um professor da rede municipal.

Cataguases
Vereadores apresentaram projetos para reduzir cargos comissionados e prometem para os próximos dias outra proposta para fixar em um salário mínimo seus vencimentos.

Itajubá
Em 9 de setembro, será feita uma audiência pública na Câmara Municipal para discutir a redução do número de vereadores da cidade. A proposta vem sendo encabeçada pelo movimento Transparência Itajubá. Também há uma forte pressão da população para que sejam cortados os salários dos vereadores.

Poços de Caldas
Uma campanha coleta nas ruas assinaturas para a redução dos salários dos vereadores pela metade. A lista de assinaturas já tem 3 mil nomes. A meta é chegar a 6 mil.

Nanuque
Manifesto colhe assinaturas para a redução via projeto de lei de iniciativa popular. Proposta é que o salário seja fixado em dois mínimos.

Diamantina
No início do mês, os vereadores tentaram aprovar o pagamento de 13º salário, mas a população tomou conta da Câmara e não deixou que a proposta fosse aprovada. Agora, os eleitores coletam assinaturas para reduzir os vencimentos de R$ 6,3 mil para R$ 1.576 e vetar o pagamento de qualquer acréscimo, gratificação ou abono para qualquer vereador.


São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Foto de Carlos Augusto
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo