residencial Preconceito Racial é tema de trabalho em Gincana do Polivalente - São Gonçalo Agora

Preconceito Racial é tema de trabalho em Gincana do Polivalente

Uma equipe de pelo menos 7 pessoas do Colégio Estadual Polivalente de São Gonçalo dos Campos participará da Gincana do colégio nesta quarta-feira (12) cumprindo uma tarefa pra lá de importante. Os alunos foram designados a criar e compartilhar um vídeo sobre preconceito racial. Para sua edição, intitulada "Os Travessos", os alunos do (2º FGM1) conseguiram o depoimento de Mário, um angolano que veio ao Brasil estudar Teologia e acabou sentindo o preconceito "na pele" quando precisou tomar um transporte com destino a Igreja. De acordo com Mário uma mulher não quis sentar-se ao lado dele somente por causa da cor de sua pele. (Assista ao vídeo abaixo). Os alunos diretamente envolvidos no projeto são: Karla Leal, Giovana Aquino, Laiana Araújo, Andreza Silva, Luana Carvalho, Nara Ligia e Higor.


Preconceito Racial – O que é isso?
O preconceito racial é uma doença insidiosa moral e social que afeta os povos e as populações de todo o mundo. É diagnosticada pela catalogação dos seus vários sintomas e manifestações que incluem o medo, a intolerância, a separação, a segregação, a discriminação e o ódio. Apesar de todos estes sintomas de preconceito racial serem manifestados, a única causa subjacente do preconceito racial é a ignorância. Historicamente, uma raça de pessoas é definida como uma população com
características biológicas distintas.

Enquanto todos os seres humanos pertencem à mesma espécie, Homo sapiens, as raças se distinguem umas das outras por características como cor e textura do cabelo, cor da pele, cor e formato dos olhos, o tamanho de partes/membros do corpo e os órgãos faciais. Embora os cientistas tenham chegado à conclusão de que essas diferenças entre os povos são superficiais e que a humanidade tem mais características em comum do que diferentes, a própria humanidade continua a ver os outros de acordo com características que são percebidas externamente.

De fato, os seres humanos são aparentemente diferentes; o problema surge quando os sintomas da doença tornam-se evidentes: a intolerância, a separação e o ódio. De uma forma positiva, alguém pode aceitar as diferenças dos povos em toda a face da terra e maravilhar-se com a singularidade dos indivíduos que vivem em uma parte diferente do mundo ou na sua vizinhança. O preconceito racial perverte essa singularidade das raças e enxerga essas diferenças como algo que separa os indivíduos
uns dos outros, com um grupo sendo inferior ao outro.


São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo