Alunos e pais de Conceição da Feira podem ser processados por causa da violência nas escolas - São Gonçalo Agora

Alunos e pais de Conceição da Feira podem ser processados por causa da violência nas escolas

Quarenta pais de alunos do município de Conceição da Feira, a 8 km de São Gonçalo dos Campos, foram convocados pela justiça por causa do mau comportamento dos filhos dentro das escolas. Alguns chegam a ir armados com facas para a sala de aula.

O município possui 35 escolas públicas, onde estudam 4 mil alunos. Em pelo menos três delas a violência tem sido constante. Os piores casos registrados até agora foram na escola Vivaldo Bittencourt, onde estudam 1.300 alunos. Nela são registrados 10 casos de violência em sala de aula por semana.

De acordo com a entrevista que foi ao ar na noite desta quarta pela Rede Bahia, os alunos indisciplinados promovem brigas dentro e fora da escola, há relatos de uso de drogas nos banheiros, e segundo a direção alguns desses alunos vem armados de faca para a escola. De acordo com a diretora Suely França, "eles vão para a escola achando que lá também é um espaço que eles podem fazem o que bem entendem". Segundo Fábio Menezes,  secretário de educação do município, "esses alunos são identificados e encaminhados para o conselho tutelar e o conselho de menor, responsáveis pelas providências cabíveis de acordo com o "Toque de Estudo" estabelecido pelo juiz do município".

Devido a este grande índice de violência, nesta quarta-feira (10), 40 pais foram convocados pelo juiz da Vara da Infância e Juventude, para uma audiência no fórum do município. Os filhos indisciplinados também foram convocados.

Duas das facas encontradas na escola nesta quarta (10) foram levadas para a audiência. Ao final, pais e filhos assinaram um termo de advertência, mas de acordo com o juiz Brandão Neto, "os estudantes poderão responder na justiça pela indisciplina nas salas de aula. Nosso objetivo é processar os adolescentes também, por causa da perturbação ao sossego dos outros alunos assistindo aula. Os pais podem ser responsabilizados também, porque eles não estão cumprindo a portaria da justiça, que prever multa de três a vinte salários mínimos, conforme o artigo 249 do estatuto da criança e do adolescente", disse.

São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Informações e fotos/reprodução da Rede Bahia
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo