residencial Furão fala de Bloqueio de Bens ao São Gonçalo Agora. Ouça! - São Gonçalo Agora

Furão fala de Bloqueio de Bens ao São Gonçalo Agora. Ouça!

O prefeito de São Gonçalo dos Campos Antonio Dessa Cardoso (PSD) falou cerca de 20 minutos para o São Gonçalo Agora sobre o seu processo e disse ter certeza que provará sua inocência.


Antonio Dessa começou falando do início do caso, que ocorreu no ano de 2012 (no período das campanhas), quando segundo ele, denunciou por extorsão, junto ao Ministério Público, o empresário Gustavo Fernandes D’Afonseca, proprietário da Maderval Material para Construção.

No mesmo período Gustavo e Targino Machado Pedreira Filho, atual Deputado Estadual da Bahia, pelo DEM, e irmão de Antonio Dessa, formularam representações criminais à Procuradoria-Geral de Justiça, em Salvador-Ba, delatando irregularidades relacionadas a licitações na gestão do prefeito, além da possível existência de inúmeras fraudes em licitações e contratos do município.

Na época Targino era opositor ao irmão e comandava a campanha de seu filho, sobrinho do prefeito, candidato a prefeitura de São Gonçalo.

Um dos pontos mais debatidos no processo está sendo a acusação de o prefeito ter comprado material de construção para as suas propriedades e ter quitado com notas da prefeitura.

Segundo o prefeito, na entrevista que pode ser ouvida na íntegra no link abaixo, ele diz que irá provar que não cometeu este, e nenhum crime, tanto que teve negado seu afastamento e prisão cautelar solicitados pelo denunciante à justiça.

Referente a publicação no site do Ministério Público, no dia 24 de novembro, o prefeito disse, "da forma que está publicado parece que eu desvei 600 mil e não isso. O real valor que o Ministério Público está cobrando ressarcimento, por entender que houve desvio do erário público, é de R$ 84.700,00". A decisão cabe recurso.

Ainda de acordo com o prefeito, "seus bens foram bloqueados para servir de possível pagamento das multas caso ele seja condenado e não possua o valor para pagar. E não porque os mesmos foram quitados ou construídos com o erário público, como quem não tem conhecimento de todo o processo comenta".

Caso o prefeito seja condenado, terá que pagar três multas, uma no valo de R$ 84.700.00 (acréscimo patrimonial), outra de R$ 254.100.00 (multa civil), e mais uma de R$ 254.100,00, que somadas, caso seja condenado, lhe custará R$ 677.600,00.

Ouça a entrevista na íntegra e saiba de maiores detalhes.


Mandado de Notificação

Capa do Mandado de Notificação, recebido no dia 17/11/14
Página que cita os valores das multas
São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Compartilhe no Google+

Sandro Araújo