residencial Projeto no Senado quer mudar lema da bandeira brasileira para “Foco, Força e Fé” - São Gonçalo Agora

Projeto no Senado quer mudar lema da bandeira brasileira para “Foco, Força e Fé”

“os senadores só estão querendo aparecer com uma proposta tão descabida”., disse Talita Souza
Um projeto de lei, em tramitação no Senado Federal, propõe uma mudança no lema da bandeira nacional brasileira. Senadores da oposição, juntamente com membros governistas da bancada evangélica, querem que o tradicional “Ordem e Progresso” seja substituído pelo lema “Foco, Força e Fé”, bastante difundido na internet nos últimos meses.

O argumento para a modificação é que o atual binômio, inspirado no lema político de autoria do positivista francês Auguste Comte – "O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim" –, não condiz com a atual situação do país.

“Diante de tantos escândalos de corrupção, não há como entender como a bandeira do Brasil ainda ostente tão nobres conceitos. Não há ordem nem progresso neste país”, critica o senador Raimundo Cabral (DEM-SC), que apresentou a proposta em nome do grupo formado por 15 senadores.

Apesar de a alteração no emblema parecer uma novidade, a bandeira brasileira já teve sete versões diferentes. A última mudança ocorreu em maio de 1992, quando foram incluídas mais quatro estrelas, referentes aos estados de Amapá, Roraima, Rondônia e Tocantins, então, recém-criados.

FRACASSO DA SELEÇÃO -
Ainda de acordo com o democrata, a goleada sofrida pela Seleção Brasileira diante da Alemanha, por 7x1, na semifinal da Copa do Mundo, acelerou a decisão do grupo de dar entrada no projeto. “Foco, Força e Fé é o tripé do sucesso. Um lema que, com certeza, irá levantar a auto-estima dos brasileiros. Por isso, pedimos que o projeto seja votado em regime de urgência”, salienta Cabral, que classifica o lema atual como “demasiadamente demagógico”.

FALA POVO
- Nas ruas, as opiniões sobre a possível alteração no símbolo oficial da República se dividem. Para a funcionária pública Talita Souza, de 27 anos, a derrota da Seleção Brasileira não é motivo suficiente para justificar uma modificação dessa magnitude. “Eu sei da importância do futebol para a maioria dos brasileiros, mas é apenas um esporte”, minimiza, antes de sugerir que, na verdade, “os senadores só estão querendo aparecer com uma proposta tão descabida”.

Já a enfermeira Gabriela Lima, 24, acha que a mudança pode ajudar, de fato, a fazer com que os brasileiros voltem a acreditar em dias melhores. “Tenho muito foco e força nas coisas que faço, e muita fé em Deus e acho que o povo brasileiro ficaria muito bem se adotasse essa filosofia a partir de agora”, comenta a jovem, que admite ter perdido parte do orgulho de ser brasileira após o fracasso da Seleção no Mundial.

PEC DA BANDEIRA -
O senador José Pimenta (PT-CE), um dos principais críticos da retirada do “Ordem e Progresso”, já avisou que sua bancada irá entrar com um pedido de arquivamento imediato da proposta. “Esse projeto é inconstitucional. Está claro que o interesse da oposição é criar um desconforto no governo e atrasar a votação de projetos importantes, como a Reforma Pecuária”, afirma.

Apesar da crítica, Pimenta foi um dos que estiveram à frente da PEC da Bandeira, em 1999, quando seu partido, o PT, propôs, na Câmara Federal, por meio de um Projeto de Emenda à Constituição, que 13 das 27 estrelas da bandeira do país passassem a ter a cor vermelha. O projeto foi arquivado em 2001.

São Gonçalo Agora/Sandro Araújo
Fonte: Agência Senatorial
Compartilhe no Google+

About Sandro Araújo